Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Trace com os alunos as linhas básicas do planejamento urbano

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

Apresentar à classe os trabalhos de Lúcio Costa e discutir a importância de se planejar o desenvolvimento de uma cidade

Ano(s) 
Material necessário 

Reportagem de Veja: O tesouro de Lúcio Costa

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Introdução

Se você já rabiscou a esmo uma folha de papel enquanto fala com um amigo ao telefone, saiba que esses traços podem ser o início de uma idéia importante e original, que corre o risco de se transformar até na planta de uma grande cidade. Duvida? Pois VEJA informa que foi assim, de forma simples e despretensiosa - como na reprodução harmoniosa do traçado de uma cruz -, que Lucio Costa "inventou" Brasília. Use o texto para examinar como a beleza de um simples gesto grafado a lápis pode gerar significados profundos e polêmicas não menos densas. Afinal, os que amam a capital da República - erguida segundo as diretrizes de Lucio e Oscar Niemeyer - formam uma legião. E os que a detestam, idem. Proponha um exercício divertido para provar que o crescimento planejado de uma cidade pode evitar muitos problemas.

Faça cópias bastante ampliadas do mapa que ilustrado abaixo e distribua para os alunos, organizados em pequenas equipes. Providencie fita adesiva, papel de seda branco (ou outro translúcido, como manteiga ou vegetal) e canetas hidrográficas coloridas.

Comece a lição exibindo um lápis preto. Lance uma provocação: diga que um traço pode construir uma cidade. Peça que os estudantes mencionem o nome de áreas urbanas onde já estiveram e descrevam o que mais marcou em cada uma delas. Mostre imagens de lugares diferentes. Antigos como Atenas, grandes como Nova York ou São Paulo e pequenos e calmos como Poços de Caldas. Fale que cada uma dessas cidades possui características próprias e até uma personalidade que as distingue das demais. Diga que esses aspectos nem sempre são "naturais", mas que, às vezes, alguém os projeta. Pergunte o que a moçada já ouviu falar sobre o trabalho dos arquitetos. Ouça as opiniões e lembre que, além de imaginar prédios bonitos, extravagantes ou meramente úteis, esses profissionais também podem se dedicar a criar ou transformar bairros inteiros e até cidades. Passe à leitura da reportagem.

Explore a atividade proposta no quadro abaixo e, com base nos resultados, lance questões sobre a cidade na qual a garotada mora. Organize uma discussão sobre os problemas que podem ser percebidos no perímetro urbano e teça comentários sobre como o planejamento pode melhorar ou solucionar alguns deles. Cite cidades que surgiram de um plano pensado por arquitetos e urbanistas, como Belo Horizonte, Goiânia, Maringá ou Palmas, e outras que foram crescendo de forma caótica, como São Paulo. Pergunte se é possível interferir nesse contexto e incluir alguma ordem no processo. Informe que mesmo áreas tão controladas quanto Brasília às vezes crescem demais e dificultam a vida dos habitantes. Comente que Lucio Costa ajudou a criar bairros inteiros - a Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, por exemplo - e propôs soluções para dramas que assolavam lugares antigos, como as graves inundações em Veneza e Florença, na Itália. O protagonista da reportagem de VEJA formou-se pela Escola de Belas-Artes do Rio de Janeiro e mais tarde dirigiu a instituição. Foi um dos responsáveis pela formação de arquitetos importantes, do nível de Oscar Niemeyer.

Por fim, comente que grande parte das nossas cidades - e das construções que elas abrigam - nunca contou com um projeto arquitetônico. Após fazer contato com o trabalho de Lucio Costa, a classe acredita que os profissionais desse setor podem contribuir para o incremento das paisagens urbanas?

2ª etapa 

Planejamento urbano
Divida a turma em equipes de, no máximo, quatro pessoas. Distribua uma cópia do mapa abaixo para cada grupo e explique os principais acidentes geográficos indicados. Peça que usem a fita adesiva para fixar o mapa numa mesa e, sobre ele, a folha de papel de seda. Ali deve "nascer" uma cidade. Onde passarão as grandes avenidas? Devem ser construídas pontes? Qual a área ideal para o centro comercial? Como serão os bairros residenciais? Depois de esboçar a estrutura principal com o lápis, os grupos usarão as canetas hidrográficas para diferenciar cada intenção do projeto.

Sugestões: as avenidas podem ser delimitadas por traços pretos e grossos e as ruas, por linhas finas; a cor azul pode indicar os quarteirões com prédios altos; o amarelo simbolizará as quadras com casas baixas; áreas comerciais e de serviços aparecerão em vermelho; parques e praças, em verde. Lembre de outros elementos importantes - igrejas, escolas, linhas de metrô, cemitério... Cada equipe apresentará sua cidade e o conjunto da classe vai eleger a mais bonita, a mais funcional, a que respeita o meio ambiente com maior sustentabilidade e em qual delas a maioria dos alunos gostaria de viver.

Créditos:
Marco Antonio Pasqualini de Andrade
Formação:
Professor de História da Arte da Universidade Federal de Uberlândia (MG)
Autor Nova Escola

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.