Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Trabalho escravo contemporâneo

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

- Saber que ainda existe trabalho escravo no Brasil e identificar suas características.
- Conhecer as condições que levam um trabalhador à escravidão hoje.
- Conhecer formas de combate à escravidão atual.
- Valorizar todo trabalhador como cidadão e respeitar seus direitos.

Conteúdo(s) 

- Características da escravidão contemporânea no Brasil.
- Formas de combate à escravidão.
- Valorização dos trabalhadores.

 

Ano(s) 
Tempo estimado 
Dez aulas.
Material necessário 

Imagens de trabalhadores em condições de escravidão e textos sobre o tema.

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Apresente imagens que retratem situações envolvendo o trabalho escravo (hoje ou no passado). A ideia é levantar o que os alunos sabem sobre o assunto. Pergunte: o que essas imagens mostram? Conforme a discussão for avançando, introduza novas questões: são trabalhadores? Em que condições laboram? Essas imagens são de que época? Vocês já viram algo parecido? Em que situação?

2ª etapa 

Traga para a sala de aula um conjunto de notícias atuais sobre o trabalho escravo no Brasil e retome a discussão, estabelecendo uma relação entre as imagens, o que os alunos disseram e as notícias trazidas. É importante que eles reconheçam a existência da escravidão nos dias de hoje e algumas de suas características - como o fato de que a maioria seja de homens e que sofra com as péssimas condições de trabalho.

3ª etapa 

Os alunos leem o texto O Que É Trabalho Escravo. Encaminhe uma discussão coletiva, focando dois aspectos citados no texto: "trabalho degradante" e "cerceamento de liberdade". Para apoiar a discussão, questione: por que esses trabalhadores são considerados escravos? Eles podem ir embora? Como é a vida deles na fazenda? Por que eles não pagam a dívida? Por que não vão à polícia? Após a discussão, os alunos devem fazer anotações em dupla.

4ª etapa 

Coloque a seguinte questão para ser respondida individualmente e por escrito: "Explique como uma pessoa livre se torna escrava. Use passagens do texto que justifiquem sua resposta". Proponha uma discussão coletiva para esclarecer dúvidas e socializar os saberes construídos até aqui.

5ª etapa 

Os estudantes devem ler em casa o texto Como uma Pessoa Escrava se Torna Livre. Em classe, promova um debate sobre as formas de combate ao trabalho escravo atual.

6ª etapa 

Para finalizar, encomende a produção de um panfleto para ser distribuído na comunidade escolar. Ele deve alertar sobre a existência do trabalho escravo no Brasil e dizer como combater essa prática. O trabalho pode ser em pequenos grupos e as crianças devem consultar os materiais utilizados no estudo ou outros de apoio que encontrem. É importante socializar e discutir a adequação e precisão dos dados e das imagens escolhidos.

Avaliação 

Analise o desenvolvimento dos alunos ao longo do processo. A participação nas discussões coletivas, as anotações, a resposta individual para a pergunta da 4ª etapa e a confecção do panfleto são instrumentos de avaliação. Se for o caso, pode-se ainda propor a produção de um texto a respeito do assunto, definindo um gênero específico e um destinatário real.

Flexibilização 

Sempre que anotar os principais pontos discutidos em sala no quadro-negro, faça esquemas coloridos e vire-se de frente para a classe para que o aluno com deficiência auditiva, capaz de fazer a leitura orofacial, acompanhe o que você diz. Explorar bem as imagens da escravidão vai ajudar o deficiente auditivo ao longo da atividade. Organize as fotos com legendas, para facilitar a compreensão. Um intérprete de libras também pode ajudar a transmitir ao aluno informações importantes discutidas pelos colegas. No trabalho em duplas ou em grupo, oriente os alunos a falar pausadamente, com o olhar voltado ao colega com surdez. Organizar esquemas com as principais ideias do grupo antes da produção de textos e do panfleto também colabora para o bom andamento da sequência didática. Se necessário, amplie o tempo para a realização de algumas das atividades e oriente seu aluno com DA a finalizar o trabalho no contraturno, junto do educador responsável pela sala de recursos. Outra sugestão é pesquisar vídeos sobre o tema em libras - normalmente disponíveis nos centros de referência - e exibí-los para toda a turma. A escola também pode montar seu próprio acervo, ao gravar leituras e encenações feitas em libras.

Deficiências 
Auditiva
Créditos:
Clarice Barreira Camargo
Formação:
Professora da Escola da Vila, em São Paulo
Créditos:
Mariana Noce Volkmer
Formação:
Professora da Escola da Vila, em São Paulo
Autor Nova Escola

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.