Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Seus alunos sabem o que é a logística reversa?

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

- Conscientizar os alunos sobre a enorme quantidade de lixo produzida diariamente no mundo todo.
- Apresentar algumas possibilidades de redução na produção diária de lixo.
- Explicar o conceito de logística reversa.

Conteúdo(s) 

- O problema do lixo nas grandes cidades.
- Política Nacional de Resíduos Sólidos.
- Logística reversa.

Ano(s) 
Tempo estimado 
Duas aulas
Material necessário 

Sacos de lixo; cestos de lixo; cartolinas e material para confecção de cartazes; resíduos sólidos domésticos como garrafas PET, embalagens de xampu, caixas de pasta de dente etc; cópias dos textos de apoio disponíveis no item "Quer saber mais?" deste plano de aula.

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Introdução
De acordo com informações do Ministério do Meio Ambiente, as cidades brasileiras produzem 161.084 mil toneladas de resíduos sólidos por dia. O grande problema do Brasil, contudo, não está apenas na quantidade de lixo produzida, mas na destinação dos resíduos. O que fazer com todo esse lixo? Vale lembrar que os dados oficiais mostram somente a quantidade de lixo produzida nas cidades, sem levar em consideração o que é produzido na zona rural, nem a destinação desses dejetos.

Um dos modos de destinação adequada dos resíduos sólidos é a chamada logística reversa (LR). O conceito, já difundido em diversos países, tem como eixo base fazer com que os resíduos retornem à sua cadeia produtiva. Ou seja, se um resíduo não pode ser reutilizado, ele pode ser destinado "ao seu ciclo produtivo ou para o de outra indústria". Como exemplo, podemos citar a devolução de garrafas, pilhas ou eletrodomésticos que não são mais utilizados para as fábricas que os produziram, para que elas deem a destinação adequada aos materiais ou reaproveitem alguns de seus componentes.

Este processo é importante, pois (1) diminui a demanda por novas matérias-primas, (2) evita um consumo ainda maior de energia para a preparação dessa matéria-prima e (3) diminui a quantidade de resíduo sólido depositado em lixões.
Por isso, vale trabalhar o tema com os seus alunos e conscientizá-los a respeito dos problemas urbanos e ambientais.

Para trabalhar a questão do lixo com a sua turma é fundamental que os alunos compreendam, de início, o que é um resíduo sólido e saibam diferenciá-lo de outros tipos de resíduo. Nos primeiros momentos de contato com o lixo com uma abordagem ecológica, é importante que as crianças reconheçam que o meio ambiente não é representado apenas por um bosque, uma praia ou uma floresta. Os alunos devem perceber que também são parte da natureza e que tudo o que acontece no ambiente, seja bom ou ruim, vai afetá-los.

Comece a aula explicando à turma que o objetivo dos próximos encontros será tratar do problema do lixo. Conte que vocês irão discutir algumas soluções para a destinação desses resíduos. Em seguida, pergunte aos alunos se eles sabem dizer quantos cestos de lixo existem nas casas deles e, com base nessas informações, tentem estimar a quantidade de resíduos sólidos produzidos pelas crianças e suas famílias em um dia.

Depois de discutir quanto lixo produzimos, informe aos alunos que vocês vão tratar de um típico específico de lixo: os resíduos sólidos. Para explicar quais objetos fazem parte desse grupo, retome com os pequenos os conceitos de sólido, líquido e gasoso - os estados físicos da matéria. Quando as crianças aprendem esses conceitos, o principal exemplo usado nas aulas é o da água. Gelo, água líquida e o vapor de água são facilmente reconhecidos pelos alunos e é importante que os exemplos sejam concretos e façam parte da realidade das crianças. Por isso, o exemplo da água pode ser um ponto de partida para ampliar o conceito das crianças sobre materiais sólidos, incluindo o lixo.

Conte aos alunos que os resíduos sólidos são materiais que deixaram de ter uma utilidade prática para as pessoas. Eles se originam em casas, escolas, hospitais, indústrias e na construção civil e passam a ser considerados lixo depois que já serviram para alguma finalidade. Mas, isso não significa que tais materiais não possam ser mais utilizados. O objetivo da reciclagem ou do reuso desses materiais é justamente diminuir o impacto da geração desse tipo de lixo. Comente com as crianças que a destinação adequada dos resíduos sólidos é tão importante que ganhou uma legislação específica, a Política Nacional de Resíduos, que será tratada na próxima aula.

Para finalizar, ajude os alunos a identificar o lixo sólido em sua própria casa. Conte a eles que objetos como embalagens de alimentos e de brinquedos ou diversos tipos de materiais plásticos são exemplos de resíduos sólidos. Como lição, peça aos alunos que observem o lixo produzido em casa, façam uma lista do que consideram resíduos sólidos e tragam alguns desses resíduos para a próxima aula.

2ª etapa 

É recomendável que essa aula seja realizada no laboratório de Ciências ou em algum outro espaço da escola, fora da sala de aula, onde os alunos possam manipular os resíduos e possam lavar as mãos. Se for necessário, providencie luvas de borracha para evitar o contato direto com os resíduos.

Para complementar os resíduos trazidos de casa pelos alunos, você pode, previamente, separar alguns resíduos produzidos na escola. Em seguida, todos irão classificar o lixo segundo diferentes critérios - como cores, formato das embalagens, tipos de produto, material de que são feitas as embalagens etc. O lixo também pode ser separado de acordo com o local de origem - a casa dos alunos, a secretaria da escola, a biblioteca, a cantina ou as áreas de lazer.

Com base nessa separação você vai introduzir o conceito de logística reversa para a turma. Explique aos alunos que desde o ano passado, o tratamento dos resíduos no Brasil deixou de ser apenas uma boa prática para se tornar uma obrigação legal. O Plano Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), sancionado em agosto de 2010, exige que as empresas deem uma destinação ambientalmente correta para os seus produtos quando eles viram "lixo".

Conte que a logística reversa é um conceito bem amplo, previsto no PNRS, e que pode ser compreendida como o gerenciamento do fluxo dos produtos desde o seu ponto de venda (quando compramos uma geladeira, por exemplo) até o seu descarte (quando a geladeira estraga e a jogamos fora). Ou seja, a proposta do Plano Nacional de Resíduos é que as indústrias tenham o controle de todas as etapas para que encaminhem adequadamente os resíduos sólidos que produzem e fornecem aos consumidores.

Explique que existem várias empresas que diminuíram o tamanho das embalagens de seus produtos, sem afetar seu conteúdo, para gerar menos lixo (como algumas embalagens de amaciante e sabão em pó em que o líquido vem concentrado, por exemplo). Outras montam os equipamentos que comercializam pensando na facilidade que terão em desmontá-los para a reciclagem posteriormente. Também existem as empresas que reutilizam materiais ou empregam materiais reciclados na confecção de novos produtos.

Após a sua explanação, é hora de cuidar dos resíduos que foram classificados pela turma. Os alunos deverão, em conjunto, identificar qual será o destino desses resíduos. Pergunte à turma para onde todo o lixo separado poderia ser enviado. Se houver muitas embalagens de papel - o que é muito provável - sugira que elas poderiam ser destinadas a uma indústria de cadernos que faz capas de papel reciclado.

Ouça as opções de destinação dos resíduos sugeridas pelos alunos e complemente as hipóteses. Conte que garrafas PET têm sido amplamente destinadas para a indústria têxtil. Hoje já estão sendo fabricados tecidos a partir da fibra de garrafas PET. Existem municípios brasileiros que realizam a transformação do Politereftalato de etileno (o material de que são feitas as garrafas PET) em fibra para a confecção de roupas. As embalagens são compactadas e enviadas a usinas que trituram e transformam esse plástico em flocos para a confecção de filamentos de poliéster.

O principal intuito dessa atividade é fazer as crianças perceberem a importância do retorno das embalagens, utilizadas nessa aula, para a indústria de papel ou alguma outra indústria que minimize o impacto ambiental. No caso da indústria de papel, menos árvores serão utilizadas à medida que o papel for reciclado. Por outro lado, se a garrafa PET for utilizada para a confecção de roupas, pode-se economizar na produção de algodão e na produção de poliéster.

Para encerrar, pesquise que cooperativas ou empresas da sua cidade já recebem esses resíduos sólidos e proponha à turma o encaminhamento de todo o lixo separado, mostrando aos alunos qual será o destino final dos resíduos coletados.

Avaliação 

Há inúmeras propostas de se avaliar o quanto as crianças entenderem desse assunto. Uma sugestão é propor um quadro com imagens de resíduos sólidos e pedir que as crianças classifiquem os diferentes tipos de lixo de acordo com critérios estabelecidos por você ou que associem as embalagens às destinações mais adequadas, de acordo com opções listadas por você. Outra forma de avaliar é fazer com que as crianças aprendam mais sobre a produção de lixo na escola. Juntos, vocês podem criar uma campanha de conscientização sobre a importância da separação dos resíduos que envolva toda a escola. Essa campanha pode incluir a separação dos resíduos sólidos em cestos de lixo apropriados e a confecção de cartazes com textos informativos sobre a reciclagem e a logística reversa, fixados nos murais da escola. O importante é que, ao final da sequência didática, as crianças compreendam o que é o processo de logística reversa e saibam diferenciar os resíduos sólidos de outros tipos de lixo.

Quer saber mais?

Textos de apoio para o professor extraídos do site do movimento Planeta Sustentável, da Editora Abril:
A dinâmica da logística reversa
Lixo agora é problema de todos
A nova era da reciclagem
Central da Reciclagem: onde descartar resíduos sólidos
Logística reversa deve se tornar realidade: entrevista com Paulo Roberto Leite
Linha de desmontagem

Textos de apoio para as crianças extraídos do site "Meu Planetinha", do Planeta Sustentável
Lixo que não vai para o lixo
Sacolas plásticas: de onde vêm, para onde vão?
Para onde vão as garrafas plásticas?

Teste
Lixo eletrônico no lugar certo

Documento
Política Nacional de Resíduos Sólidos

Vídeo
A história das coisas

Livros
Logística reversa
O reverso da logística e as questões ambientais no Brasil

Créditos:
Marcos D. Muhlpointner
Formação:
Biólogo e professor de Ciências dos Colégios Renascença e Bialik em São Paulo
Autor Nova Escola

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.