Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Série sobre energia: Plano de aula 1 - Energia no mundo

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 
  • Identificar e analisar a composição da matriz energética mundial e brasileira e sua associação com a produção e o consumo de energia. 
  • Promover ações na escola e na comunidade que contribuam para economizar energia e evitar usos inadequados e predatórios dos recursos disponíveis. 
Conteúdo(s) 
  • Energia: matriz energética;
  • Fontes de energia;
  • Consumo de energia.

 

Ano(s) 
Tempo estimado 
3 aulas
Desenvolvimento 
1ª etapa 

Introdução

Está é a primeira de uma série de quatro sequências didáticas sobre a questão da energia no Brasil e no mundo. Antes de começar, é importante relembrar os conceitos apresentados na última parte da série sobre água e que introduziu a questão energética (acesse o plano de aula Energia Hidrelétrica). A aula trata da relação entre água e energia e traz conceitos como matriz e fonte energética e recursos renováveis e não-renováveis, que serão úteis aqui.
O foco inicial será a oferta e o consumo de energia por fonte no Brasil e no mundo. Mais adiante são discutidas as opções energéticas e os impactos delas nas mudanças climáticas e no aquecimento global, provocados pela queima de combustíveis fósseis. Por fim, é examinada a importância para o planeta das chamadas fontes alternativas e renováveis de energia.


Como se configura a matriz energética brasileira e mundial? Que alterações vêm ocorrendo nos últimos anos em relação à oferta e ao consumo de energia? Como se pode economizar energia na vida cotidiana e qual a importância disso? Essas e outras questões podem ser objeto de planos de aula, projetos de trabalho na escola e sequências didáticas sobre energia.


Os alunos dessas turmas podem examinar a oferta, a distribuição e o consumo de energia no Brasil e no mundo. Com isso, vão obter um panorama do assunto, que pode ser analisado posteriormente para criar propostas voltadas para a solução do problema. Para começar, peça à turma para examinar e comparar os gráficos abaixo, com atenção para a natureza das fontes (renováveis e não renováveis). 

 

Oferta de energia no Brasil e no mundo

Robles/Pingado
Fonte: Ministério das Minas e Energia

 

2ª etapa 
Após o exame, divida os alunos em grupos e peça que prepararem pequenos relatórios com os resultados. Aqui, você pode destacar alguns pontos: é possível observar que, no mundo como um todo, há forte predominância das fontes fósseis (petróleo, carvão mineral e gás natural) - que, juntas, constituem mais de 80% da oferta de energia. O petróleo é o combustível que mais se destaca e, embora seu uso venha declinando, estima-se que deverá permanecer nesse patamar por mais algumas décadas, até que fontes de alto teor e eficiência energética possam substitui-lo. Destaque que os países do Oriente Médio são os principais produtores de petróleo, entre eles Arábia Saudita, Irã e Iraque. A Rússia também possui grandes reservas (não só de petróleo, mas também de gás natural), o que permite ao país transformar esses recursos em arma geopolítica, como nos contenciosos com a União Europeia, que consome o gás russo, e com a Ucrânia, território de passagem dos dutos.


Os quadros energéticos regionais também oferecem informações relevantes: países como Alemanha e Dinamarca vêm ganhando espaço na produção de energia eólica e solar; no campo do carvão mineral, o destaque é a China, principal produtor e também o maior consumidor. Como o carvão é um recurso não-renovável, o país vem sendo alvo de severas críticas.

Ao comparar a matriz energética mundial com a brasileira, saltam à vista as diferenças em relação à participação de fontes renováveis ou de menor impacto ambiental, como a biomassa - em especial o etanol, produzido com base na cana de açúcar, e o biodiesel, feito com diferentes matérias primas-vegetais, como mamona e babaçu - e a geração hidrelétrica - que, como vimos em plano anterior, responde pela maior parte da energia elétrica gerada no país. (para outros dados, consulte a reportagem Mais energia limpa, menos carbono, no Planeta Sustentável).

Portanto, comparando-se com o cenário mundial, a matriz energética brasileira é mais equilibrada e diversificada. É a que conta com maior participação das fontes renováveis ou alternativas (para outros dados, consulte a reportagem Brasil: energia múltipla, no Planeta Sustentável). Peça que a moçada organize os dados e informações em tabelas, comparando as matrizes do Brasil e do mundo.

 

3ª etapa 

Retome o debate com as turmas, agora enfatizando a questão do consumo de energia. Proponha que os estudantes analisem o gráfico e o mapa a seguir.

Robles/Pingado

 

Robles/Pingado

 

Eles vão constatar que está ocorrendo um aumento consistente no consumo de energia de todas as fontes no mundo. Os gráficos mostram uma preponderância do consumo das fontes de origem fóssil - em especial o petróleo -, tanto no período atual como nas projeções para as próximas décadas. Mas vale ressaltar que há também crescimento do consumo de fontes ditas renováveis.

A distribuição regional do consumo não deixa margem a dúvidas: os países ricos, agrupados no mapa na OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico) respondem por mais de 50% do consumo energético mundial. Mas os principais consumidores, especialmente de petróleo e derivados, são mesmo os Estados Unidos. Essa potência econômica responde por 23% do consumo da energia mundial, mesmo com apenas 5% da população do planeta.

No Brasil, por outro lado, houve forte crescimento do papel da biomassa, mantendo-se também a importância da energia hidrelétrica. Ao mesmo tempo, cresceu também a demanda e o consumo de petróleo, anunciando um risco de "carbonificação" de nossa matriz energética. Como veremos nos próximos planos, isso pode ser intensificado com a descoberta de volumosas reservas no pré-sal, no subsolo oceânico do sudeste do país.

 

4ª etapa 

Peça aos alunos que reúnam as informações e resultados das conversas e debates e preparem uma dissertação individual sobre as perspectivas da geração e do consumo de energia no Brasil e no mundo. Os resultados podem ser objeto de seminários e apresentações na escola.

 

Avaliação 

É essencial avaliar o domínio progressivo de conceitos, noções e processos. Entre eles, os de matriz e fonte energética, recurso renovável e não-renovável, e consumo de energia por fonte. Avalie o conjunto das produções de texto e a participação de cada um nas tarefas individuais e coletivas. Nas dissertações, examine com atenção a compreensão dos conceitos e processos relativos à geografia da energia. Não se esqueça de reservar um tempo para que as turmas avaliem a experiência e o tema estudado.

 

Quer saber mais?

Bibliografia
Dossiê Terra - O Estado do Planeta 2010, National Geographic, Ed. Abril, tel. (11) 3037-6004.
Atlas da Situação Mundial, Dan Smith, Cia. Editora Nacional, tel. (11) 2799-7799.

Internet 
Balanço Energético Nacional 2008 - Balanço publicado pelo Ministério das Minas e Energia e pela Empresa de Pesquisa Energética com dados sobre produção, consumo e oferta por fonte de energia no país.
Atlas da Energia Elétrica, da Aneel - Atlas do órgão com tabelas, mapas e gráficos sobre as fontes de energia do Brasil.

 

Créditos:
Roberto Giansanti
Formação:
Geógrafo, autor de livros didáticos e consultor educacional
Autor Nova Escola

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.