Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Reler e reescrever: uma experiência com jornal mural na escola

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 
  • reconhecer a estreita ligação entre leitura e escrita.
  •  utilizar a linguagem oral em situação específica de comunicação, relatando o que leu, sintetizando idéias, expondo seu ponto de vista, ouvindo com atenção as idéias e os relatos expostos. 
  • ler e escrever diversos tipos de textos, especialmente, os textos do tipo argumentativo-dissertativo.
  • debater sobre temas de caráter mais polêmico, ampliando o conhecimento do estudante. 
  • compreender as diferentes funções da linguagem, em gêneros discursivos diferentes, aliando este conhecimento aos propósitos comunicativos específicos de cada texto. 
  • reconhecer a necessidade de interação na escrita. 
  • produzir textos argumentativos. 
  • reescrever o texto produzido, partindo das observações de leitores diversos.
Conteúdo(s) 
  • Leitura de diferentes gêneros discursivos presentes nas seções dos jornais de grande circulação
  • Produção de textos dissertativos- argumentativos


Ano 
9º ano (A atividade também pode ser feita no Ensino Médio ou no 8º ano, dependendo dos objetivos específicos da matriz curricular.)

Tempo estimado 
Pelo menos 2 bimestres, em aulas de 50 min. Mas pode ser trabalhado ao longo do ano letivo, alimentando os debates sobre diferentes temas.
Material necessário 
  • Diferentes jornais em circulação (é importante que sejam bons jornais)
  • Mural preparado para receber os recortes semanais das notícias mais importantes
  • Cola, tesoura e percevejo para afixar as notícias no mural
Desenvolvimento 
1ª etapa 

Introdução


Partindo-se da hipótese que somente se escreve sobre aquilo que se tem conhecimento, este projeto propõe que o estudante reconheça a multiplicidade de gêneros discursivos existentes em um jornal, reconheça que a prática de leitura é fundamental para o desenvolvimento da escrita, conheça a estrutura dos diferentes tipos de textos - especialmente, os argumentativos - e seja capaz de ampliar as estruturas de seu repertório lingüístico na produção de textos em diferentes gêneros discursivos.

O projeto deve permitir que o estudante articule seu conhecimento prévio sobre os diferentes temas que circulam na sociedade e o propósito comunicativo dos diferentes textos. Assim, pode ampliar sua visão crítica sobre textos e temas e a capacidade de estabelecer cruzamentos de seus conhecimentos prévios e os adquiridos na atividade de leitura. Além disso, deve tomar consciência da possibilidade de superação das dificuldades que a escrita impõe, reconhecendo a estreita relação de sentido entre leitura e escrita: uma não prescinde da outra. No entanto, cada uma dessas atividades cognitivas mantém suas características próprias na construção de sentidos do texto.

Um aspecto fundamental deste projeto didático é que o estudante não escreve para cumprir uma tarefa da sala de aula, mas porque tem algo a dizer. O colega é leitor crítico de seu texto; o professor é mais um leitor. Este conjunto de leitores propiciará uma visão crítica da escrita que cada estudante está desenvolvendo. É mais um manancial de informações para a reescrita do texto.

O momento inicial deste trabalho é a conscientização de que a leitura, mais que um hábito, promove o conhecimento diversificado, contribuindo para a expansão do repertório de conhecimentos de cada um de nós. Por conseguinte, que a leitura de jornal pode propiciar, de uma forma mais imediata, essa conscientização. Deve-se partir de um modelo de professor-leitor. Portanto, o professor deve mostrar ao aluno que lê bastante, por exemplo.


Leve para sala de aula diferentes jornais e mostre aos estudantes como são constituídos, que diferenças de estruturas existem na seção de cartas dos leitores, por exemplo, e as manchetes. Mostre as seções de economia, notícias internacionais e Brasil, mostrando como os fatos do mundo podem influenciar o noticiário local.

Analise as manchetes dos diferentes jornais. Mostre como as estruturas lingüísticas são diferentes e que as escolhas podem revelar intenções comunicativas diversas.


Incentive-os a ler o jornal em sala de aula, seja em grupo ou individualmente, questione sobre suas seções preferidas. Enfim, propicie um momento de leitura em sua aula de Língua Portuguesa, mostrando que ler faz parte do processo ensinar e aprender.

2ª etapa 

Mostre aos alunos, a partir da leitura que estão fazendo, quais as principais partes de um jornal. Descreva com eles as diferentes seções, seus objetivos, suas características. Ao compará-las, mostre as diferenças de linguagem, indicando aquelas que se aproximam de uma linguagem mais informal e aquelas que têm um registro mais formal. Mostre que esta variação ocorre não só entre seções, mas entre jornais, que atendem a públicos diferenciados. Cabe enfatizar que os grupos de alunos terão acesso ao material original, ou seja, o material será os exemplares de jornal. Liste as várias seções que compõem os periódicos.


Proponha-lhes, em grupo, a escolha de notícias por seção específica, a fim de que as divulguem à turma. Aqui você pode indicar que cada grupo estudará uma seção específica ou que cada grupo estudará todas as seções. Acompanhe as escolhas pelos grupos. Oriente-os a organizar em papel as várias seções com os textos selecionados: editorial, carta de leitores, notícias do mundo, do país, da cidade, esportes, destaques culturais (shows, peças, filmes). Dê-lhes o desafio de apresentar, oralmente, o material preparado. Oriente os alunos a resumirem a idéia principal de cada notícia.

3ª etapa 

Os alunos se apresentam nos grupos de trabalho para a turma, resumindo as notícias lidas. Interceda, sempre que necessário, mostrando aos grupos como é importante falar de forma clara. A partir da apresentação, instigue os alunos a refletirem sobre as notícias divulgadas. Escolha, então, um editorial de tema polêmico, por exemplo, a fim de discutir os aspectos favoráveis ou não à abordagem apresentada pelo jornal. Exponha os trabalhos dos estudantes em um mural na sala de aula ou no corredor da escola.

Na seguinte, apresente à turma outro editorial, a fim de trabalhar a estrutura específica do gênero. Será interessante conseguir textos com opiniões e abordagens diferentes. Após um amplo trabalho com a estrutura do editorial, com as marcas gramaticais predominantes, proponha-lhes a escrita de um editorial. Determine um tema e oriente os alunos a deixarem explícito o seu ponto de vista sobre ele.

4ª etapa 

Para socializar a escrita dos alunos, reúna-os em grupos de quatro alunos ¿ podem ser os mesmos da apresentação ou não ¿, proponha-lhes que leiam os textos dos colegas, fazendo comentários quanto à clareza de idéias, se os propósitos comunicativos foram atingidos ou não, sobre a correção gramatical. Trata-se de leitura do texto, por outras pessoas, tirando a centralidade do leitor privilegiado que é o professor. Observe que o professor também fará suas sugestões, provavelmente em sua correção fora da sala de aula. Este ¿exercício¿ propiciará a cada estudante subsídios críticos para a reescrita de seu próprio texto, repertório ao qual ele recorrerá em suas futuras produções.

Os textos produzidos pelos estudantes podem compor uma seção do mural do corredor da escola na semana seguinte, quer em seção de editorial, quer na de cartas dos leitores.

5ª etapa 

Divida os alunos em grupos e responsabilize cada um a desenvolver a atividade do jornal mural a cada semana. Ou seja, toda a semana o mural será trocado, a partir de notícias e textos jornalísticos selecionados pelos grupos. Esclareça que o material alimentará a produção de textos dissertativo-argumentativos dos estudantes ao longo do ano. Em turma de trinta alunos, se grupos de quatro componentes apresentarem-se uma vez por semana, em um bimestre todos terão se apresentado. Paralelamente ao trabalho do mural, o professor deve desenvolver uma discussão específica sobre a construção do texto argumentativo. Toda a semana, um debate pode ser proposto, o que servirá de informação para a produção do estudante.

Produto Final 
O produto final do projeto é a montagem semanal de jornal mural na escola.

 

Quer saber mais?

Bibliografia 
KOCH, Ingedore Villaça& Travaglia, Luiz Carlos. Coerência textual. São Paulo. Editora Contexto. 2002
MARCUSCHI, Luiz Antônio. A produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.
TEDESCO, Maria Teresa Vilardo Abreu. Considerações sobre o texto argumentativo. IN: A produção de textos no ENEM: Desafios e Conquistas. Andrade, Gisele Gama & Rabelo, Mauro Luiz. ( Org) . UnB. 2007, 269 páginas.

Autor Nova Escola

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.