Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


O uso de motocicletas nas cidades brasileiras

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

Reconhecer o papel dos veículos motorizados de duas rodas como meio de transporte e avaliar o seu uso nas várias regiões do país

Ano(s) 
Material necessário 

Este plano de aula está ligado à seguinte reportagem de VEJA:

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Introdução 

VEJA destaca a crescente popularização das motocicletas em nosso país. Por serem veículos leves, ágeis e, conforme o modelo, bem mais baratos que os carros, elas permitem aos condutores contornar os engarrafamentos das grandes cidades e, ao mesmo tempo, deixar de depender do precário transporte público. Mas há mais motivos que explicam a preferência popular pelas motos. Convide a garotada a "subir na garupa" para um passeio instigante sobre o tema.

Inicie com um pequeno histórico sobre esse veículo. Conte que a motocicleta foi criada simultaneamente por um norte-americano, Silvester Roper, e um francês, Louis Perreaux, no ano de 1869, e desenvolvida mais tarde por Gottlieb Daimler o mesmo da fábrica de automóveis Daimler & Benz. Embora não tenha fabricado motos em escala industrial, esse alemão foi o primeiro a utilizar um motor de combustão interna como propulsor, adaptado a um protótipo de madeira. Faça cópias da imagem desta página e distribua para a classe. Assim fica claro que, em sua origem, as motos mais pareciam uma bicicleta motorizada. Hoje existem dezenas de marcas e modelos, com diferentes potências, utilizados em larga escala há muitos anos, em todo o mundo. Destaque a popularidade das duas rodas na China, na Índia e no Vietnã. Em Hanói, por exemplo, elas ocupam todos os lugares e carregam de tudo até mesmo famílias inteiras.

A Primeira moto: propelida por motor de combustão interna, foi fabricada na Alemanha por Gottlieb Daimler, em 1885. Foto: Bettmann/Corbis/latinstock
A Primeira moto: propelida por motor de 
combustão interna, foi fabricada na Alemanha
por Gottlieb Daimler, em 1885. 
Foto: Bettmann/Corbis/latinstock
 

Depois diga que, no Brasil, as motos existentes na primeira metade do século XX eram importadas da Europa e dos EUA. Apenas em 1951 foi montada a primeira motocicleta no território nacional. Proponha, então, que a turma recolha alguns dados da reportagem. Assinale o extraordinário crescimento na produção e aquisição desse veículo, que devem dobrar de 2007 até o final de 2008. Explore com os adolescentes as razões desse desempenho: o aumento da renda, o preço acessível e a expansão do crédito. Com isso, modelos menores, mais simples e mais baratos passam a experimentar uma explosão nas vendas. Nesse quadro, vem crescendo o número de motos em circulação em várias cidades fora do eixo Rio-São Paulo, em especial no Norte-Nordeste. Mas essa expansão também se dá em cidades de grande porte. Em São Paulo, por exemplo, o número de motocicletas triplicou em dez anos, passando de 2,9% da frota de veículos em 1993 para 10% em 2003. Em 2006, havia cerca de 550 mil motos na cidade.

Pergunte aos jovens o que sabem a respeito da produção das motos no Brasil. Ouça as respostas e informe que a quase totalidade das motocicletas produzidas no país sai das linhas de montagem das fábricas instaladas na Zona Franca de Manaus (ZFM). Trata-se de um parque industrial criado em 1967, à base de incentivos fiscais, com o objetivo de gerar empregos e promover o crescimento econômico da região. Para instalar unidades, as empresas deixam de recolher impostos sobre a importação de peças e componentes que serão montados ali, assim como têm isenções de outras taxas. Com o tempo, a ZFM constituiu-se num grande parque de montagem de motos, celulares, televisores, DVDs e outros produtos, voltados à exportação e ao mercado interno. Ponto de discórdia entre as unidades da federação, o custo de produção na ZFM é cerca de 25% mais baixo do que no resto do país.

2ª etapa 

Explore as repercussões desse boom das duas rodas no Brasil. Mostre que, segundo pesquisa da associação de fabricantes do setor, a Abraciclo, mais de 90% dos usuários irão rodar predominantemente nas cidades. Os dados revelam também que a maioria dos entrevistados declarou usar a moto como condução para o trabalho e a escola, em parte substituindo o carro e o transporte coletivo. Estima-se que algo em torno de 25% das motos em circulação no país são usadas para motofretes. Pergunte em que medida isso contribui para tornar o trânsito ainda mais caótico nas metrópoles. Ou elas facilitam os deslocamentos sem gerar danos?

Como tarefa, proponha que a classe se divida em grupos e realize entrevistas com motociclistas. É importante que procurem descobrir as motivações para a aquisição da moto e suas finalidades predominantes de uso na cidade (trabalho, transporte, passeio etc.). No caso daqueles que são motoboys, vale a pena verificar a extensão da jornada diária e o regime de contratação (formal ou informal e se a empresa é legalizada), se dispõem de assistência médica ou seguro de vida e como é a pressão do tempo exigido para fazer entregas o que pode trazer um diagnóstico da imperativa aceleração no mundo em que vivemos.

Com base nos dados obtidos, encomende aos estudantes uma dissertação individual sobre as relações entre o uso das motocicletas e dos demais meios de locomoção  destacando o transporte coletivo. No texto, sugira que reflitam sobre a seguinte questão: até que ponto a utilização de motocicletas como opção de transporte decorre da precariedade dos demais meios e dos sistemas de trânsito nas cidades?

Quer saber mais?

Internet
O site da ABRACICLO (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares) traz diversas informações sobre o assunto

 

Créditos:
Roberto Giansanti
Formação:
Geógrafo e autor de livros didáticos
Autor Nova Escola

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.