Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


O papel dos ângulos

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

- Conhecer ângulos, suas unidades e instrumentos de medida.
- Estimar medidas de amplitude e estabelecer relações entre diferentes unidades.
- Desenhar figuras geométricas com base nas medidas de seus lados e/ou ângulos para identificar as propriedades de soma interna dos ângulos.

Conteúdo(s) 

- Ângulos.
- Unidades de medida.

 

Ano(s) 
Tempo estimado 
Seis aulas.
Material necessário 

Lápis, borracha, régua, esquadro e transferidor.

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Explique a intenção principal desta sequência: entender o que são ângulos e saber como medi-los para construir figuras geométricas. Verifique o que a turma sabe sobre o assunto indagando: o que são ângulos? Como descobrir qual a sua medida? Questione uma ideia muito arraigada entre a garotada: a associação da medida do ângulo com o tamanho dos segmentos de reta que o determinam. Para isso, lance situações-problema como a seguinte: qual dos ângulos abaixo é maior?

ângulos

Acolha opiniões e mostre que não há relação entre a amplitude do ângulo e o tamanho dos segmentos de reta. 

2ª etapa 

Use o ângulo reto como unidade de medida. Desenhe no quadro alguns ângulos agudos, obtusos e retos e pergunte: quanto mede cada um? Informe que a ideia aqui é estimar quais são maiores, menores ou iguais ao reto. Incentive a turma a comparar o desenho com a extremidade de uma folha, de uma régua ou esquadro sem usar o transferidor. 

3ª etapa 

Conte que, para aferir todo tipo de abertura com precisão, foi necessário criar uma unidade - o grau. Apresente o transferidor e explique sua função e a forma como se observam as medidas nele. Para mostrar seu uso, distribua cópias da figura abaixo numa folha de papel A4, propondo o seguinte desafio: desenhe um triângulo exatamente igual a esse no caderno.

triângulo

Para cumprir a missão, os alunos vão precisar medir com régua os lados que formam a base e a altura do triângulo e conhecer, com a ajuda do transferidor, os ângulos exatos dos lados que unem a base ao topo da figura. Para verificar se a construção foi correta, sobreponha a folha de caderno à figura que você distribuiu. 

4ª etapa 

Aprofunde o uso do transferidor e da régua com problemas que levem a refletir sobre as condições necessárias para construir triângulos. Sugestões:
- Confeccione um triângulo com um ângulo reto.
- Confeccione um triângulo com três lados de 5 centímetros.
- Construa um triângulo que tenha um lado de 5 centímetros, um ângulo de 20° e outro ângulo de 70°.
- Construa um triângulo com ângulos de 60, 100 e 40º.
A turma vai perceber que o último modelo pedido "não fecha". Por que isso ocorre? Existem outros assim? Estimule o debate e ajude a classe a explorar a propriedade da soma dos ângulos internos de um triângulo, que equivalem a 180º. 

Avaliação 

Verifique o que os alunos aprenderam propondo as duas situações-problema apresentadas a seguir:
- Construa um triângulo com ângulos de 60, 100 e 20°.
- Construa um triângulo com ângulos de 80, 40 e 30°.
Note se os alunos percebem que o uso do transferidor é importante para estimar a medida e se sabem usá-lo. No segundo caso, indague por que o triângulo "não fecha" e peça uma justificativa por escrito, avaliando se compreendem a propriedade de soma dos ângulos internos.

Flexibilização 

Para trabalhar com crianças com deficiência mental, o primeiro passo é estabelecer quais objetivos podem ser alcançados pelo aluno. Conhecer os ângulos, suas medidas e instrumentos de medida, assim como desenhar figuras geométricas com base na medida dos lados ou dos ângulos são objetivos que podem ser trabalhados mais facilmente. As três primeiras etapas da sequência podem ser realizadas sem a necessidade de flexibilizar conteúdos. Mas lembre-se: o aluno com deficiência deverá ter um tempo maior para realizar as atividades e precisa do Atendimento Educacional Especializado (AEE) na sala de recursos, no contraturno. Cartazes com os desenhos dos ângulos maiores e menores podem ajudar o aluno a estabelecer relações entre as diferentes medidas. A partir da quarta etapa, proponha atividades em que o aluno com deficiência mental possa explorar melhor o uso da régua e do transferidor, sem expectativas com relação à apreensão do vocabulário específico (reto, agudo, obtuso) e de sua conceitualização (nem mesmo a ideia da soma dos ângulos internos do triângulo). Mantenha o foco na possibilidade de o aluno fazer um bom uso dos instrumentos e tornar-se capaz de construir figuras geométricas. Avalie se o aluno entendeu qual o conceito de ângulo e se ele sabe quais são os procedimentos de uso dos instrumentos para construir figuras geométricas.

Especifique os objetivos propondo aquisições básicas em cada etapa da atividade. Faça adequações nas instruções e nos conteúdos. É importante analisar a atividade individualmente, estabelecendo objetivos específicos ao aluno.

1ª etapa
Aproxime o conceito de ângulo lembrando a expressão do futebol "gol no ângulo". Mostre uma ilustração do gol, desenhe no quadro e explore o ambiente da sala solicitando que localize outros ângulos. Essa introdução também pode favorecer a aprendizagem e o interesse dos demais alunos do grupo.

2ª etapa 
Estimule que ele perceba o que é um ângulo reto e o identifique em vários locais. Explore a ideia de ângulo maior ou menor que o ângulo reto. Faça perguntas individuais conforme as competências de cada aluno. Valorize suas colocações e o estimule a ouvir os colegas.

3ª etapa
Adapte a sua produção, peça a construção desse ângulo pelo uso da régua sem a necessidade de ter a mesma medida. Se for favorável, introduza a utilização do transferidor.

4ª etapa 
O aluno pode trabalhar em dupla com um desafio maior ou trabalhar sozinho recebendo uma instrução por vez, sempre com um maior de desafio.

Avaliação
Adapte sua avaliação às conquistas individuais do aluno com deficiência.

Deficiências 
Intelectual
Créditos:
Priscila Monteiro
Formação:
Formadora do Instituto Avisa Lá, em São Paulo, e selecionadora do Prêmio Victor Civita - Educador Nota 10.
Créditos:
Flexibilização: Teca Antunes
Formação:
Diretora do Colégio Santa Amália / Maple Bear - SP e Mestre em Educação Inclusiva.
Autor Nova Escola

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.