Aqui você pode pesquisar os planos existentes

 


O papel do frio na formação da civilização humana

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

Informar sobre pré-história e desenvolvimento humano

Conteúdo(s) 

 

 

Ano(s) 
Tempo estimado 
3 Aulas
Material necessário 

Conteúdo relacionado

Reportagem de Veja

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Introdução

O aquecimento global talvez obrigue a humanidade a regressar às regiões cobertas de neve e gelo, adverte o texto da reportagem de VEJA. Que tal se aclimatar desde já, passando uma temporada no exótico Hotel de Gelo da Suécia, em seus equivalentes no Canadá e na Finlândia ou mesmo no iglu de alguma hospitaleira família inuit (o termo com que os esquimós designam a si próprios)? Você também pode usar a reportagem como base para examinar, com seus alunos, como a espécie humana conseguiu superar o homem de Neandertal, há muitos milhares de anos, e ocupar todos os ambientes do planeta, das zonas glaciais aos desertos. Embarque com a turma numa viagem à pré-história e ensine um pouco sobre as origens da nossa espécie.

Examine, com o auxílio de um mapa, os extremos dos hemisférios norte e sul. A classe vai perceber que, se tivermos de regressar às regiões de mais baixas temperaturas, seremos acolhidos por grupos que lá se fixaram há bastante tempo.

Mostre que o Círculo Polar Antártico corta as vastidões desabitadas da porção mais meridional do planeta. Logo ao norte, porém, está a Patagônia, repartida entre a Argentina e o Chile, hoje um pólo turístico. Nele se encontra Ushuaia, capital da província argentina da Terra do Fogo. Não há cidade mais ao sul.

Por sua vez, o Círculo Polar Ártico atravessa o Canadá, a Groenlândia, a Islândia, a Escandinávia e a Rússia. Nessa faixa, existem importantes conglomerados urbanos - caso da cidade russa de Murmansk. As áreas no interior do círculo polar e em sua borda apresentam grande diversidade cultural e numerosos grupos étnicos: inuits no Canadá e na Groenlândia, lapões na Escandinávia, várias tribos siberianas etc. Divida a turma em grupos e encarregue-os de investigar as culturas que se desenvolveram nessas regiões geladas do planeta: seu estudo tem muito a nos contar.

Uma área interessante para ser examinada mais detalhadamente é a Sibéria. Conquistada pelos russos e cossacos no século XVI, era então ocupada por grupos nômades. Esses povos tinham ritos funerários um tanto particulares, cuja origem pode estar relacionada à Pré-História. Em razão da dificuldade para abrir covas no solo gelado com os instrumentos de que dispunham, os siberianos primitivos não enterravam seus mortos. Os koryaques e os chukchis, por exemplo, dissecavam os corpos sem vida. Já os yukaghires desmembravam as carcaças e depois distribuíam as partes já secas para os familiares mais próximos. Esses nacos serviam como uma espécie de amuleto. Os kamchadales tinham em mente a necessidade de transporte na vida após a morte e davam os pedaços dos cadáveres aos cães para que tivessem força suficiente para puxar o trenó de seus antigos donos ao longo da vida no além. Hoje, a Sibéria abriga centros urbanos dinâmicos e áreas industriais de destaque - e sempre geladas.
 

2ª etapa 

Oriente os jovens em pesquisas destinadas à construção de uma árvore genealógica de nossos ancestrais, do Australopiteco, que habitou a Terra há mais de 3 milhões de anos, ao Homo sapiens, cujo desaparecimento remonta a menos de 200.000 anos. A descrição de hábitos e habilidades faz parte da tarefa.

Depois da montagem da árvore em folhas de cartolina, organize na sala uma exposição do que foi aprendido. Como apoio, chame a atenção para a teoria Out of África (Fora da África), que pode lançar luz sobre a vitória evolutiva da espécie humana sobre os neandertais, mencionada pela reportagem de VEJA. Segundo esse conceito, a expansão de nossa espécie se deve aos Homo erectus, que teriam saído da África rumo ao continente asiático há 2 milhões de anos e, posteriormente, seguido para a Europa. Lá, teriam originado os homens de Neandertal. Cerca de 500.000 anos atrás, os Homo erectus que permaneceram na África tornaram-se homens modernos ou Homo sapiens. Equipados com capacidade de raciocínio abstrato, linguagem e cooperação social, como ressalta a revista, eles impulsionaram uma terceira onda migratória humana e desenvolveram - no gelo europeu - a habilidade cognitiva, a abstração e o simbolismo, suplantando assim as populações arcaicas que ainda restavam.

 

 

Avaliação 

Encaminhe buscas em livros ou pela internet acerca do atual processo de aquecimento planetário e das mais recentes Idades do Gelo. Informe que o personagem conhecido como Ötzi, retratado por VEJA, viveu durante a última era glacial. Muito depois de sua morte, no entanto, a Europa conheceu a Pequena Era Glacial, que se estendeu entre os séculos XIII e XVIII. Não são poucos os que associam a queda nas temperaturas ao aumento da atividade vulcânica. Houve efeitos dramáticos: os vikings deixaram a Groenlândia, onde o verde deu lugar à tundra; a Finlândia perdeu um terço da população; e a Islândia, metade. Ou seja, pequenas alterações climáticas podem ter enorme impacto.

Quer saber mais?

BIBLIOGRAFIA
A Arte Rupestre no Brasil, Madu Gaspar, Ed. Jorge Zahar, tel. (21) 2108-0808
Pré-História do Brasil, Francisco Silva Noelli e Pedro Paulo Funari, Ed. Contexto, tel. (11) 3832-5838

 

Créditos:
Ricardo Barros
Formação:
Professor de História do Colégio Paulista, em São Paulo
Autor Nova Escola

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.