Aqui você pode pesquisar os planos existentes

 


O brega que virou chique

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

Compreender as origens da música típica argentina

Conteúdo(s) 

 

 

Ano(s) 
Material necessário 

Este plano de aula está ligado à seguinte reportagem de VEJA:

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Introdução 

Jorge Luis Borges escreveu que o tango era uma rajada, uma diabrura que teimava em criar recordações inesquecíveis de uma esquina suburbana. De fato, basta ouvir os primeiros acordes de um Gardel ou de um Piazzolla para ser atingido pela emotividade dos arranjos. Mas o escritor não negligenciou o fato de o tango ser, também, uma música originária dos prostíbulos da Buenos Aires em vias de modernização. O gênero sofreu, por assim dizer, uma grande mudança, deixando o lupanar e chegando às salas de concerto durante a segunda metade do século passado.

Lembre à garotada que a Argentina teve um desenvolvimento acelerado no final do século XIX, atraindo imigrantes europeus. Nessa época, a população embalava-se ao som das polcas, mazurcas, habaneras e valsas. O tango nasceu a partir desses ritmos e da mistura entre a cultura musical de italianos, alemães, espanhóis, dos crioulos descendentes dos conquistadores ibéricos e de um tipo de batuque dos negros chamado "candombe".

Sua origem é como expressão folclórica das populações pobres. O primeiro tango oficialmente registrado é La Canguela, de 1889. As músicas do novo ritmo não tinham letras  o povo improvisava versos picantes que criticavam com humor os costumes da época. Considerado obsceno, sofreu forte discriminação da elite, a ponto de, em público, ser dançado apenas por homens. Rapidamente a dança se espalhou pelos bordéis, cada vez mais numerosos graças à chegada constante de homens para trabalhar na construção de ferrovias, na melhoria das instalações portuárias e na crescente atividade industrial. As características musicais do tango incluem a sua forma binária (tema e estribilho) e o compasso de quatro quartos. Sua base sonora não utiliza nenhum apetrecho de percussão e tem como principal instrumento o bandoneón, uma espécie de sanfona levada à Argentina pelos alemães.

A indústria fonográfica acompanhou o movimento e buscou atingir um público cada vez mais amplo ¿ o que incluía a classe trabalhadora. A música dos cabarés foi sendo incorporada pelos discos e pelas rádios, mas para isso deixou de lado seu conteúdo lascivo ou sarcástico para dar lugar às histórias de amor e de abandono ou traição. Os músicos se profissionalizaram e saíram dos cabarés para se apresentar em casas mais requintadas, até que nos anos 1920 viajaram à Europa, onde encontraram muita receptividade, sobretudo na França. O tango ganhou o mundo e se transformou num ícone argentino.

A cena do ator americano Al Pacino representando um cego que dança Por Una Cabeza, no filme Perfume de Mulher, ficou marcada na cultura popular. Confira com a moçada na internet . O grandalhão Arnold Schwarzenegger, em True Lies baila ao som do mesmo tango  imortalizado por Carlos Gardel, maior intérprete do ritmo. Peça que os alunos pesquisem a vida e obra dele e o citem numa redação sobre o ritmo, descrevendo as sensações que o tango desperta neles. E não se assuste se o texto ficar caliente.

Créditos:
Camila Koshiba
Formação:
Professora de História da Escola Nova Lourenço Castanho, de São Paulo
Autor Nova Escola

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.