Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Interpretação de mapas de síntese

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

- Analisar um mapa de síntese a partir do título e da legenda para delinear as áreas de ocorrência dos fenômenos cartografados.
- Relacionar a distribuição dos dados no mapa de síntese para entender o problema geográfico em questão.
- Compreender a simbologia dos mapas, como ela é usada para representar os fenômenos retratados e a relação entre eles.

Conteúdo(s) 

Mapa de síntese.

Ano(s) 
Tempo estimado 
3 aulas
Material necessário 

Cópias do mapa sobre Meio Ambiente no Brasil (se preferir, você pode usar outro livro ou atlas que contenha esse mapa), uma folha de papel vegetal ou similar, lápis preto e fita adesiva.

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Distribua uma cópia em cores para cada aluno do mapa Brasil - meio ambiente (presente no Atlas Escolar e no Geoatlas, ambos de Maria Elena Simielli). Também é possível trabalhar com um mapa de síntese relacionado ao conteúdo de Geografia que está sendo estudado em sala com os alunos. Reúna os alunos em duplas e os conduza a observarem o mapa. Inicie a observação fazendo perguntas como: que tema é abordado? Que informações o mapa apresenta sobre esse tema? Como essas informações foram representadas? Para responder, oriente os alunos na leitura do título e da legenda. Eles também devem buscar na legenda a fonte dos dados e a data das informações, que são muito importantes para saber a validade dos dados. Se a data for muito antiga, os dados já estarão superados. Quanto à fonte, é importante saber se os dados foram obtidos em órgão oficial de pesquisa, o que lhe dá mais validade. Conduza uma exploração dos elementos e da simbologia do mapa, com o uso da legenda. Pergunte aos alunos sobre que variáveis visuais são usadas e o que cada uma delas representa, como: Que cores aparecem? Há pontos ou linhas? O elas indicam? Por exemplo, geralmente, são usadas cores diferentes para indicar a diferença entre os tipos de ocupação do espaço. No entanto, uma área pode ter mais de um tipo de informação. Questione sobre como isso pode aparecer no mapa. Um recurso é fazer hachuras sobre os tipos de ocupação do espaço, para indicar trechos com "contaminação do solo e da água por agrotóxicos", por exemplo, que ocorrem tanto em áreas profundamente transformadas pela ação antrópica quanto em áreas menos afetadas pela ação humana. 

Vale lembrar que o entendimento de um mapa de síntese depende do conhecimento que o aluno tem sobre o tema abordado. As dificuldades, muitas vezes, originam-se na falta de conhecimento a respeito dos conceitos que ele representa. Caso isso seja identificado pelo professor, nesse momento cabe retomar o que já foi estudado, e até aprofundar o assunto com uma leitura específica.

2ª etapa 

Proponha que façam uma análise separando as informações que o mapa representa. Para isso, explore a legenda com os alunos, para que eles identifiquem todos os fenômenos representados e os localize no mapa: onde ocorre tal fenômeno? Nesse caso, há informações sobre: tipos de ocupação do solo, áreas ameaçadas por poluição, tendências de expansão da ocupação antrópica, estado de conservação dos biomas. Diga para a garotada encontrar a relação que há entre esses dados. Por exemplo, no mapa indicado, "chuva ácida" ocorre em espaços profundamente transformados onde há poluição do ar e da água pela atividade industrial, esses espaços estão localizados no Vale do Paraíba, sul de Minas e sudoeste do Rio de Janeiro. O que isso significa? Há relação entre a chuva ácida e a poluição? Como isso fica evidente no mapa? 

Há no mapa, linhas e setas que delimitam as tendências de expansão de ameaças ambientais, questione com os alunos: que tipos de ameaças elas indicam? Para onde estão avançando? Onde aparecem pontos de risco de poluição por petróleo e pontos de acidentes com fontes radioativas? Desafie os alunos a pensar sobre as relações entre as áreas, linhas e pontos que analisaram. Em que tipo de ocupação do espaço os pontos de risco estão concentrados? Quais são as tendências de expansão das ameaças ambientais? Coloque em discussão como a situação de risco ambiental foi representada.

3ª etapa 

Um passo mais avançado é, após essa análise detalhada, entender a dinâmica espacial que o mapa propõe. Comente isso com os alunos e peça que identifiquem a distribuição dos conceitos e informações representados no mapa, eles devem notar que se formam conjuntos espaciais onde predominam certas características. 

Com uma folha de papel vegetal (ou similar) colada com fita adesiva sobre o mapa, os alunos irão agora delinear esses conjuntos espaciais, traçando seus limites com um lápis preto. Peça que numerem os conjuntos.

Avaliação 

Para concluir, proponha a seguinte discussão: Para que serve um mapa de síntese? Qual sua importância para se entender um problema geográfico? Anote no quadro as respostas dos alunos. Oriente a conversa, mostrando a importância desse tipo de mapa para o estudo da Geografia. Em seguida, solicite que escrevam sobre as condições ambientais e ameaças de risco de cada um dos conjuntos espaciais vistos na etapa anterior. É bom ter claro que, diferente dos demais mapas temáticos, um mapa de síntese representa conceitos ou informações com o objetivo de abordar uma situação ou um problema geográfico e produzir uma síntese, relacionando diversos fenômenos sob uma visão de conjunto do território cartografado. Esse tipo de mapa resulta de um estudo, de uma pesquisa que geralmente define conceitos que são representados sob a forma de um mapa. Portanto, para entender um mapa de síntese é necessário conhecer o que ele representa.

Flexibilização 

Prenda o mapa em uma prancheta ou fixe-o em uma mesa inclinada. Se necessário, amplie o tempo de realização de cada uma das etapas desse plano de aula para que o aluno com deficiência física nos membros superiores possa realizar as atividades. O papel vegetal também deve ser fixado em todas as extremidades sobre o mapa. Os lápis podem ser envolvidos em espuma, para dar firmeza ao aluno. Em casos mais severos, é possível fazer uso de órteses para que o aluno tenha mais mobilidade no punho e no polegar. Sempre que necessário conte com o apoio do profissional responsável pela sala de recursos, que pode ajuda-lo a desenvolver algumas habilidades do aluno no contraturno.

Deficiências 
Física
Créditos:
Rosângela Doin de Almeida
Formação:
Livre-docente em Prática do Ensino de Geografia pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
Autor Nova Escola

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.