Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Fatores evolutivos e ambientais que interferem no comportamento dos animais

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

Discutir como fatores evolutivos e ambientais influenciam no modo dos bichos se comportarem

Ano(s) 
Material necessário 

Conteúdo relacionado

Reportagem de Veja

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Introdução

A reportagem apresenta depoimentos intrigantes sobre cães que parecem agir como gente. A ciência tem explicação para isso. Ainda que alguns mecanismos continuem desconhecidos, existe uma coerência no comportamento dos bichos. Ela deve ser buscada nas questões que envolvem a evolução e adaptação dessa espécie que há tanto tempo convive conosco.

Após ler o texto de VEJA com os estudantes, estimule-os a relatar suas experiências com cachorros, gatos e aves de estimação.

Conte que o comportamento de uma espécie é constituído de um repertório bastante grande, em especial no caso dos mamíferos, e resulta de um processo evolutivo. Pode fixar-se numa espécie graças a uma determinada aptidão que confere ao animal. Lembre que se trata de uma característica governada por vários genes, num processo ainda não bem conhecido. Sabe-se que é gerado primariamente pelo cérebro, razão de os pesquisadores voltarem seus estudos às moléculas fundamentais que modulam o funcionamento desse centro nervoso. Em síntese, é um fenômeno epigenético, ou seja, está relacionado ao efeito dessas substâncias presentes no encéfalo.

Ressalve que nem sempre é fácil ou adequado reduzir o modo de agir à sua base bioquímica. Há questões de caráter evolutivo que devem ser levadas em consideração. Pode um determinado comportamento aumentar as chances de deixar mais descendentes? Se isso for verdade, é razoável concluir que os atos sejam todos sujeitos à seleção natural.

Estimule os alunos a interpretarem o comportamento dos cães no universo doméstico com os equivalentes selvagens mais próximos: os lobos. Esses últimos vivem em matilhas, com alto grau de reciprocidade e comportamento social, organização hierárquica e estrutura familiar. Levante a idéia de que o cão pode reproduzir padrões básicos desses comportamentos no ambiente doméstico. Por exemplo, o bicho de estimação conhece a hierarquia dos habitantes da casa e se comporta em função desse padrão, percebendo seu dono como o líder da matilha. E o que dizer da atenção compartilhada dos cães, que chega a superar a dos chimpanzés, como salienta a reportagem? Explique que a razão pode estar na prática de caça em grupo altamente desenvolvida dos caninos e dos humanos. Assim, podemos esperar que o cérebro desses animais tenha uma disponibilidade muito grande de interação com o universo humano.

2ª etapa 

Encaminhe temas para pesquisa em equipes. O exercício favorece a elaboração de um painel dos elementos mais importantes relativos à ecologia do comportamento animal.

  • Estampagem - As aves, grupo em que o fenômeno é comum, adotam como mãe a primeira figura que lhes aparece quando saem de seus ovos.
  • Aprendizado e memória - Até que ponto os animais conseguem aprender? Qual é a capacidade de memória desses organismos? Que relação existe entre tais aptidões animais e o fato de não possuírem a capacidade de julgamento dos humanos?
  • Cultura - Podemos atribuir isso aos bichos? O canto dos pássaros e os padrões de comportamento entre as comunidades de macacos da mesma espécie são manifestações culturais?
  • Vida social - Que padrões de comportamento regulam e mantêm a vida em comunidade? É possível comparar a vida social de espécies diferentes?
  • Comportamento sexual - Como a reprodução gera diversidade de comportamentos? As várias estratégias obedecem a uma relação entre o custo e o benefício do comportamento. Competição por recursos, territorialidade e agressividade - Tais elementos nunca são regulares no tempo e no espaço, criando uma grande diversidade de estratégias comportamentais.

Algumas ramificações importantes devem emergir na apresentação dos trabalhos, tais como a questão da comunicação entre os animais.

É adequado dizer que eles são capazes de utilizar uma linguagem simbólica? Com sua dança, as abelhas indicam a direção e a abundância de alimento. Bem conhecido é o caso do chimpanzé-fêmea Washoe, que aprendeu a se comunicar com a linguagem de surdos-mudos, assimilando 130 palavras da chamada linguagem de sinais americana. A gorila Koko - que virou celebridade, a exemplo do orangotango Chantek - foi capaz de associar palavras e um novo contexto, criando uma sintaxe. Estudiosos da comunicação entre baleias também vêm fazendo descobertas fascinantes. É o caso de Peter Tyack, um cientista veterano do Woods Hole Oceanographic Institution, dos Estados Unidos. Ele investiga a forma como as baleias-corcundas interagem, tentando demonstrar que os cantos repetidos desses mamíferos seguem regras gramaticais semelhantes às da linguagem humana.

Mogli. Foto: Buena Vista/divulgação
Mogli, o menino-lobo: caso em que a literatura infantil aborda
o contraponto da domesticação animal.
Foto: Buena Vista/divulgação

 

3ª etapa 

Proponha a leitura e o debate de textos enfocando crianças selvagens, que conviveram desde muito cedo com animais de modo intenso e dramático. Isso pode ser um rico contraponto para que a moçada relativize sua visão sobre o comportamento dos cachorros. Analise a impossibilidade do estudo do comportamento dissociado do universo ambiental. Vale a pena comentar episódios como o das irmãs Amala e Kamala, de Midnapore, o de Isabel - menina que vivia num galinheiro - e o de pessoas totalmente isoladas - é o caso de Kasper Hauser, de Nuremberg, e Mogli, o menino-lobo que protagoniza a aventura O Livro da Selva, de Rudyiard Kipling. As mais de 50 histórias registradas pela literatura científica de crianças que cresceram longe de outros seres humanos são belos exemplos da aptidão humana de se adaptar a situações excepcionais e também de provar a importância do universo interativo na determinação do modo de pensar e agir.

 

Quer saber mais?

BIBLIOGRAFIA
Introdução à Ecologia Comportamental,
 John Krbs e N. B. Davies, Ed. Atheneu, tel. 0800-267753

INTERNET
O site www.educ.fc.ul.pt/docentes/opombo/hfe/cselvagens reproduz histórias de crianças selvagens

FILMOGRAFIA
Mogli,
 o Menino Lobo, Wolfgang Reitherman, 1967, Buena Vista, tel. (11) 5503-9900

 

Créditos:
Ricardo dos Santos Paiva
Formação:
Professor de Biologia do Colégio Santa Cruz, de São Paulo
Autor Nova Escola

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.