Aqui você pode pesquisar os planos existentes

 


As faces da Terra e de Marte

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

Identificar a ação dos fatores que configuram o relevo dos planetas e examinar as condições favoráveis ao desenvolvimento da vida

Ano(s) 
Material necessário 

Reportagem da Veja:

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Introdução

Montanhas altíssimas, calotas de gelo, leitos de antigos rios. É assim que a reportagem de VEJA resume as mais recentes informações obtidas sobre o relevo de Marte. Essas feições fazem lembrar as existentes na Terra? Este plano de aula mostra que isso não é mera coincidência: formados há cerca de 4,8 bilhões de anos, Terra e Marte devem ter sido cenários de processos pelo menos semelhantes.

Filhos da Terra
O relevo da Terra é condicionado por agentes endógenos (provenientes do interior do planeta) e exógenos (provenientes da atmosfera). Os primeiros constituem os mecanismos geradores das grandes feições de relevo. São os responsáveis pela formação e pelo desaparecimento das placas tectônicas, grandes porções da crosta terrestre em constante movimento, transportando continentes e oceanos (veja quadro). As zonas de contato entre as placas caracterizam-se por intensos terremotos e vulcanismo. E também pela amplitude do relevo, que varia das altas cadeias de montanhas às fossas oceânicas, profundas depressões submarinas.
Sobre essas feições ocorre o impacto dos agentes exógenos, associado principalmente à presença da água. A umidade do ar, os rios e as geleiras atuam sobre as rochas expostas à superfície, modificando suas propriedades físicas e químicas e promovendo a erosão dos solos. A ausência da água em estado líquido é, inclusive, uma das diferenças atuais entre Marte e a Terra.

A outra diferença é a vida, que, acredita-se, não existe em Marte. Ricos em partículas e íons arrastados pelas águas, os oceanos da Terra favoreceram o surgimento das primeiras moléculas orgânicas. Somos resultantes de combinações e acasos felizes de um processo evolutivo que tem sua origem na interação desses agentes endógenos e exógenos. Somos filhos da Terra.

1. Proponha aos alunos o exame, num mapa, do relevo dos continentes e oceanos terrestres. Com base no mapa e na reportagem de VEJA, eles devem localizar e comparar as diferenças nas feições de Marte e da Terra.

2. A partir do mapa e do quadro, a turma identificará as principais cordilheiras terrestres. Elas estão perto dos limites entre placas? Essas placas se chocam ou se afastam?

3. Encarregue os alunos de pesquisar os "acasos felizes" responsáveis pelo surgimento da vida na Terra. (Consulte o plano de aula "Choques de Vida e de Morte", de VEJA na Sala de Aula).

Jangadas de pedra
A movimentação das placas tectônicas pode ser divergente (uma placa se afastando da outra), como entre a América do Sul e a África; convergente (uma indo de encontro à outra), como entre a América do Sul e a Placa do Leste Pacífico; ou ainda transformante (uma placa movimentando-se lateralmente em relação à outra), como acontece na costa oeste dos Estados Unidos, próximo a São Francisco. Nessa área, o atrito entre placas tem provocado fortes terremotos.

Créditos:
Michel Michaelovitch de Mahiques
Formação:
Professor do Instituto Oceanográfico da USP
Autor Nova Escola

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.