Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Conservação dos predadores de topo da cadeia alimentar

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

Identificar cadeias alimentares brasileiras;
Reconhecer a importância dos predadores no equilíbrio ecológico

Conteúdo(s) 

Cadeia alimentar; predadores

 

Ano(s) 
Tempo estimado 
Quatro aulas
Material necessário 
Desenvolvimento 
1ª etapa 

Introdução

A preocupação com o estudo e a conservação do maior predador brasileiro, a onça pintada, é o tema da reportagem A fera das Américas, publicada em VEJA. O texto é uma boa oportunidade para debater a importância destes animais para o equilíbrio ecológico.

Antes de ler a reportagem com a turma, peça que conceituem ¿predador de topo¿ e que deem exemplos. Os alunos devem perceber que se trata do animal que, em uma cadeia ou teia alimentar, não é predado por nenhum organismo. Provavelmente, os exemplos virão de fora do Brasil: leão, tigre, crocodilo, tubarão-branco, urso polar.

Leia com a turma, então, a reportagem de VEJA e discuta o motivo pelo qual, muitas vezes, conhecemos mais os animais da fauna exótica do que da nativa. Mostre aos alunos que, quando crianças, o impacto de desenhos animados, livros e revistas, programas de televisão, brinquedos e mascotes, é enorme e - em grande parte - justifica o conhecimento e a preferência por espécies de outros países.Alerte a turma que, depois da infância, não há mais desculpas para ignorar a diversidade brasileira! E comente que a sala de aula tem um papel fundamental nisso.

Peça que os alunos se dividam em grupos com quatro ou cinco integrantes. Eles devem descrever e desenhar uma cadeia alimentar exclusivamente composta por organismos brasileiros. Para tornar a atividade mais interessante, peça que cada grupo escolha um bioma/ambiente diferente: caatinga, cerrado, mata atlântica, ambiente marinho/costeiro, floresta amazônica, ambiente urbano etc.

2ª etapa 

Dê um tempo para que os alunos concluam os trabalhos. Depois, peça que cada grupo exponha o seu. Eles devem descrever o ambiente, explicar o fluxo de energia, justificar a escolha dos organismos, ouvir críticas e sugestões dos demais alunos. Cobre dos grupos a inclusão dos decompositores na cadeia alimentar e peça que identifiquem os predadores de topo (raias e tubarões; falcões e corujas; mamíferos como os golfinhos, morcegos e felinos, além de jacarés e serpentes são exemplos - genéricos, é bem verdade - da nossa fauna).

Depois das apresentações, faça uma rodada de comentários. Peça que os alunos comparem os trabalhos e avaliem seu aprendizado respondendo a duas perguntas: "O que aprendi de novo com meu trabalho? E com a produção dos colegas?". Peça que registrem não apenas os conceitos aprendidos, mas também as atitudes.

3ª etapa 

Reserve a sala de informática para esta aula. Faça - ou peça que alguém faça - os testes necessários para que a atividade funcione perfeitamente (instalação de softwares, plug-in etc.). Organize o espaço para que cada computador comporte uma dupla ou um trio de estudantes. É interessante manter uma divisão parecida com aquela do primeiro trabalho.

Explique aos alunos que eles vão simular, no computador, o trabalho de campo de um biólogo no estudo das relações entre organismos de um ambiente.

Peça que acessem o site do laboratório virtual de ecologia. A página está em inglês, mas o programa é bastante simples. Explique aos alunos que, no site, é possível fazer uma simulação da cadeia alimentar. Para tanto, eles devem começar selecionando algumas plantas, herbívoros, onívoros (animais generalistas que se alimentam de muitas fontes) e predadores de topo. Com base nessa seleção, o programa mostra um gráfico das populações escolhidas e é possível ver se elas estão em equilíbrio ou se alguns seres vivos serão extintos (veja a figura abaixo).

 

Simulador de cadeia alimentar


Depois de se familiarizarem com o programa, os grupos devem escolher uma situação para estudo. Em seguida, devem retirar os predadores de topo e verificar as alterações nas populações.

Peça que os grupos discutam os resultados, copiem os gráficos (ou imprimam-nos se for possível) e procurem interpretar os impactos da extinção dos predadores de topo. A classe deve perceber que estes seres possuem um papel importante na regulação das populações do meio em que vivem e sua extinção pode produzir um desequilíbrio ecológico em cascata.

4ª etapa 

Nesta aula, os grupos que trabalharam na sala de informática devem apresentar, sob a forma de relatório escrito e em uma breve apresentação oral, os resultados de suas pesquisas. Se puder, dê uma semana para os grupos trabalharem com mais calma e capricho.

O material impresso deve descrever aquilo que imaginam como sendo o ambiente, os organismos estudados, os métodos de coleta de dados, além de resultados, análises e conclusões. Proponha que finalizem com sugestões de conservação a serem encaminhadas à população. Lembre-os de que os maiores riscos para os predadores são a destruição de seus habitats e a caça - seja para evitar prejuízos econômicos (caso das onças mortas no Pantanal), seja para comércio de peles ou de animais vivos.

Avaliação 

Muitas são as formas de avaliar seus alunos nesta atividade. A correção conceitual, o capricho na execução e a qualidade da apresentação dos trabalhos em grupo devem ser valorizadas. Busque quantificar também o envolvimento, a dedicação e a seriedade de cada aluno com as atividades propostas.

 

Quer saber mais?

CENAP - Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros (ICMBio)
Instituto para a Conservação dos Carnívoros Neotropicais - Pró-Carnívoros
Simulador de cadeia alimentar (em inglês)

 

Créditos:
Luiz Caldeira Brant
Formação:
professor de Metodologia do Ensino da Universidade Federal de Santa Maria/UFSM
Autor Nova Escola

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.