Ainda não há contribuições em grupos.

Você ainda não tem amigos adicionados

Eventos

Próximos Eventos

17/03/18
SOBRE O CURSO Discutir os principais aspectos do...
CÁSSIA MARIA VIEIRA SILVA
publicou no grupo Organização do espaço na creche

Atividade 3: Quais objetos e brinquedos podemos colocar?

 

Leia com atenção os parágrafos a seguir, retirados do livro “O trabalho do Professor na Educação Infantil”, organizado por Zilma R. de Oliveira:

 

“Disponibilizar objetos com diferentes atributos e usos sociais é uma forma de garantir às crianças de 0 a 2 anos “experiências que incentivem a curiosidade, a exploração, o encantamento, o questionamento, a indagação e o conhecimento das crianças em relação ao mundo físico e social, ao tempo e à natureza.’ (Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil). Os objetos são portadores de significados culturais que as crianças passarão a integrar em suas brincadeiras. Mesmo antes de serem capazes de se sentar, as crianças já se interessam por objetos. O primeiro objeto com o qual elas brincam é o corpo da mãe ou de outro cuidador. O bebê manipula o seio da mãe, segura os seus dedos, sente e reconhece seu cheiro, tenta agarrar seus objetos como brincos e óculos. Móbiles colocados no teto ou sobre o berço, pequenos chocalhos e paninhos que possam agarrar também despertam o interesse dos bebês desde cedo. Quando a criança já é capaz de elevar-se ao deitar de bruços e de sentar-se com apoio ou sozinha, ganha novas possibilidade de explorar objetos dispostos ao seu alcance”.

 

“De início, na brincadeira, a capacidade de imaginar está totalmente vinculada ao objeto, como quando o bebê fala “Alô” ao manipular um telefone, real ou um objeto muito semelhante a ele. Mais tarde, essa capacidade se desvincula do significado real do objeto e a criança cria uma situação simbólica a partir de objetos, comportamentos e significados internalizados. Assim, por meio da imitação, precursora da representação, a criança irá ingressar no mundo dos símbolos que irá dominar progressivamente no jogo de faz de conta.”

 

Interessante esses trechos, não é mesmo? Agora vamos pensar quais objetos podem ser adquiridos pela sua Instituição, através de campanhas com a comunidade ou construídos pelos próprios educadores aproveitando o que já existe. Ao escolhê-los, pense o que as crianças podem construir: manipular, empilhar, encher, esvaziar, encaixar, puxar, pinçar, imitar, etc. Também é interessante considerar que tenham uma variedade de atributos, como diferentes texturas, formatos, pesos, cheiros, sons, cores, brilhos, objetos de uso cotidiano (utensílios domésticos, embalagens, roupas de adultos e acessórios) e elementos da natureza. Devemos pensar ainda que deverão estar disponibilizados conforme a organização dos espaços, divididos em cantos, como vimos na leitura da “Matriz Curricular para Berçários” da atividade 2. Lá estava citado o canto da casinha, da leitura, da construção, espaços para atividade de movimento com percursos de obstáculos (área externa como parque, pátio, solário, etc.), assim como as possibilidades de objetos e brinquedos que serão possíveis para cada um deles.

 

Com base nessas reflexões e nas discussões da Atividade 2, sugira abaixo os objetos e brinquedos que podem ser disponibilizados nos espaços da creche.

0

Comentar

Login ou registre-se para postar comentários

Comentários

Com base na faixa etária proposta, penso que possamos explorar os sentidos dos bebês, através de brinquedos educativos confeccionados por nós mesmos - que podem ser feitos através de materiais recicláveis. Sugiro o uso do dado, com seus lados, de várias cores e texturas para que a criança aprenda a conhecer suas variedades. O uso de móbiles, também pode ser indicado.
curtir
0

Há muitas possibilidades para a confecção do dado utilizando materiais recicláveis. As escolhas desses materiais vai depender do que se quer que a criança aprenda, após observação de suas ações. O dado pode ser confeccionado com diferentes materiais para exploração de texturas e colocado no canto da construção, ou com imagens no canto da leitura. Se bem recheados com papeis ou jornais, podem ser utilizados também como apoio quando os bebês começam a ficar em pé . As sucatas são materiais ricos e indispensáveis, com elas podemos construir muitos jogos e materiais para montarmos uma sala de atividades desafiadora e interessante. Já os móbiles, quando colocado numa altura onde os bebê possa tocá-lo, além de possibilitar que ele desenvolva o equilíbrio, estimula a sua investigaçao sobre o objeto, em que utilizará todo o corpo (as mãos, os pés, a boca) para descobrir as suas propriedades.
curtir
0

Gostei muito da reflexão feita e acredito que para os pequenos seja muito importante a diversidade de materiais com diversos formatos tais como brinquedos de vários tamanhos e formas, brinquedos feitos com materiais recicláveis pois eles podem participar ajudando a construir e assim vão explorando e se desenvolvendo podendo manipular os materiais utilizados, além do mais pode ser criado com os pequenos tapetes com materiais diferentes para que possam desenvolver também seus sentidos e interagir com os colegas.
curtir
0

A delimitação de pequenos cantos com tapetes é uma ideia bem bacana. Quando a sala está organizada em pequenos espaços que oferecem atividades diferentes, a criança tende a escolher aquela que prefere realizar, formando portanto pequenos grupos, promovendo a interação não só com os objetos, mas também com as outras crianças, como você mesma relatou. Conforme vão crescendo, suas necessidades vão mudando, portanto, temos que pensar que o ambiente deve estar em constante modificação, pois planejar, organizar, avaliar e reorganizar é um processo contínuo, para que as propostas sejam desafiadoras e as crianças possam avançar em sua aprendizagem de maneira gradativa.
curtir
0

A partir de cada canto( casinha, , leitura, construção) e da área externa muitos são os objetos que podem ser oferecidos nos espaços... geladeiras, fogões, armários, pratos, talheres, copos, bonecas e bonecos, telefone,, livros, almofadas, esteiras, tapetes, imagens dos desenhos das historias que eles mais apreciam, jogos de montar e desmontar, .. isso vai depender de cada canto... no canto do jogo sombólico por exemplo, podem ter roupas, sapatos, perucas, cintos e outros acessórios, para incrementar a brincadeira... Já na área externa,podem ser oferecidos materiais encontrados na natureza, - areia, água e ainda possibilitar obstáculos para o desenvolvimento de outra habilidades motoras organizando - pneus, caixas grandes e pequenas, cadeiras, mesas... entre outros materiais e planejar obstáculos onde eles possam ser desafiados a subir, abaixar, andar por dentro, andar por fora, etc..
curtir
0

Isso mesmo Celma, o espaço organizado de forma desafiadora, que atenda ao desenvolvimento das crianças, não só promove a aprendizagem como também a tranquilidade da turma, pois as ajudam a focar nas propostas e a reduzir os conflitos dentro da sala. Conduz as crianças às brincadeiras e as investigações de suas curiosidades, consequentemente a grandes avanços em suas capacidades.
curtir
0

Esse semestre colocamos o canto dos personagens , com máscaras , acessórios de heróis, princesas e fada. Montamos kit para serem colocados nos tapetes como só de acessório para a cabeça com boné, chapéu, tiara. Kit para um pic nic , com cesto, guardanapo, prato, copos, frutas, lanches, bolo. Apesar de ainda não interagirem com os amigos, cada um realiza uma ação de acordo com sua experiencia ou conhecimento. E creio que logo estarão se interagindo mais .
curtir
0

Super bacana Mônica! Não se preocupe, logo irão interagir mais mesmo, pois você está promovendo um espaço onde elas irão representar papeis que precisam do outro. Colocando kits com objetos do cotidiano delas, irá instigá-las a brincar interagindo com o outro, pois estes favorecem que elas imitem as suas vivências, onde o papel do outro é importante para a brincadeira acontecer. Você poderá estar ampliando estes espaços acrescentando o canto da construção, da leitura, se não é que já o fez. O papel do adulto como modelo nas brincadeira também é importante para ajudá-los a interagir com o outro. Vamos falar sobre isso na próxima atividade
curtir
0

Muito interessante ezessa atividade 3. Bem, vejo que pode-se utilizar brinquedos de montar, como blocos. Carrinhos, que se transforma de robôs, acredito que isso despertará a curiosidade das crianças. Brinquedos sonoros, que de preferência possam reproduzir diversos sons. E também vejo que seria importante um momento deles, onde o professor colocaria folhas de papel e os permitindo desenhar, pintar, enfim fazer o que desejarem.
curtir
0

Isso mesmo Danilo! Os materiais de exploração colocados em cada canto, devem ter intencionalidade educativa, pois o professor deve planejá-los conforme observações das crianças, pensando em quais desafios colocar à cada uma delas. Os materiais de arte, como suporte (papeis, superfícies para desenhar ou pintar) e instrumentos (pinceis, canetas, riscantes, dedos, mãos...) devem ser oferecidos às crianças com a intenção somente de exploração e não de figuração, pois nesse momento elas desenvolverão conhecimentos sobre estes materiais para mais tarde utilizá-los com este fim. Na faixa etária de 0 a 2 anos, as crianças, além dos materiais, exploram seus gestos e as marcas que deixam nos suportes, para isso também utilizam o corpo. A arte é uma linguagem que chama bastante a atenção dos pequenos, pois possibilita que explorem as texturas, sabores (quando utilizados tintas naturais de frutas, legumes), cheiros e outros.
curtir
0

Boa tarde pessoal! Sou coordenadora de duas creches, e utilizamos garrafas pets pequenas, e quanto mais colorida e diferente melhor! Utilizamos para fazer chocalhos, potes da calma, ou colocamos agúa com gel de cabelo e pequenos brinquedinhos simples dentro, os bebês gostam de brincar com isso. Fazemos móbiles com bambolês, pendurando fitas coloridas, pneus encapados para sentar os bebês no chão com apoio e para servir de obstáculos para os que já engatinham e andam. também gostamos de tampas diversas, de amaciantes, desodorantes, etc, são coloridas e fácil de juntar, as crianças adoram encaixar, colocar uma dentro da outra, separar por cores, tamanhos e semelhanças. também gostamso de bolsas, bonés, chapéus, tecidos para os momentos de jogo simbólico.
curtir
1

Quanta criatividade Deise! Através de sua prática vimos o quanto é possível enriquecer os espaços sem muito recursos financeiros. Esses são materiais que podem ser oferecido aos bebês até 18 meses aproximadamente. Pensando nos espaços em cantos, esses materiais podem ser organizados no canto de manipulação/exploração, como sugeri o”Quadro de Referência para Cantos de Berçário” da Propostas Curricular de berçário pág. 82 (https://www.sjc.sp.gov.br/media/102704/cartilha_baixa%20proposta%20curricular.pdf) .
curtir
0

Muito bacana essa reflexão e como é interessante ver as diferentes propostas! Penso que podemos oferecer para as crianças brinquedos industrializados combinados com materiais inusitados e de uso cotidiano, que na interação se tornarão brinquedos também. No CEI que trabalhei oferecíamos aos pequenos brinquedos sonoros, bonecas, carrinhos, entre outros, bem como potes, embalagens vazias, caixas de papelão, móbiles com fitas, materiais recicláveis, bolsas, telefones, teclados de computador e também elementos naturais, como: folhas, gravetos, areia, tocos de madeira e pedras. Os brinquedos e materiais eram dispostos em cantos e muitas vezes brinquedos industrializados e materiais não estruturados se complementavam na composição do canto, teclado com chocalho de potes e garrafas, latas; animais de plástico ou borracha com tocos de madeira, gravetos e folhas,bonecas com bolsas, mesas com telefones, teclados, papéis e riscantes, etc. O uso de brinquedos/materiais diversificados possibilita que as crianças soltem a imaginação e criem brincadeiras e interações cada vez mais ricas.
curtir
1

Quantas possibilidades Aline! Organizar um ambiente com situações de brincadeira com bonecas, mamadeiras, paninhos e bolsas, complementados com outros materiais, é super recomendável, pois instigam a criança a imitar, considerando os significados sociais desses objetos. Os cantos favorecem uma organização de materiais de um mesmo campo semântico, possibilitando que a criança componha a sua brincadeira, como por exemplo, dar mamadeira para boneca, cobri-la com paninho, guardar esses objetos dentro da bolsa, assim por diante. Os objetos simples como os utensílios utilizados nas refeições ou objetos iguais aos utilizados pelos adultos que lhes são próximos, possibilita que explorem e experimentem algo que lhe é familiar, mas de maneira divertida, demonstrando ser capazes de explorar o mundo ao redor e de aprender sobre ele. Quando brincam fazendo relação com o seu cotidiano, além de desenvolverem habilidades cognitivas e de manipulação, aprendem conceitos, desenvolvem também uma grande capacidade de atenção e concentração, habilidades estas que irão contribuir para que mais tarde tenham sucesso na escola e na vida. Ao pensar na quantidade e na variedade de materiais para brincar, que aumentam à medida que as crianças crescem, é preciso sempre focar no ensino/aprendizagem, para não corrermos o risco de sobrecarregar o ambiente de materiais que podem desconcentrar as crianças de suas investigações.
curtir
0

Podemos disponibilizar vários materiais como garrafas pets pintadas para um jogo de.boliche ou para utilizarem de acordo com a criatividade da criança, caixas emcapadas e de diversos tamanhos para que os bebês possam empilhar. As caixas grandes ainda podem servir de apoio para os bebês que estão iniciando o movimento da marcha, roupas de adultos para fazermos o cantinho do "papai e da mamãe" onde a criança se vestirá como eles, gosto das tampinhas de amassiantes pq dá pra utilizar em matemática pra separar por cores, por tamanhos e ainda eles amam usar essas tampas na hora de brincar com massinha. Panelas velhas, potes e tampas, talheres velhos tb são muito bem vindos em um canto externo.
curtir
0

Que legal, você conseguiu pensar nos materiais e em quais espaços estes poderão ser disponibilizados. Deu exemplo da caixa que pode ser utilizada quando a criança está iniciando a marcha, pois quando estamos atentos ao seu desenvolvimento, podemos favorecer novas ações de uso desse objeto, onde nessa interação ela aprende a se equilibrar, empurrar, subir, etc ., e a partir daí, ampliar cada vez mais seus conhecimentos e brincadeiras.
curtir
0

Os textos já fazem muitas indicações, mas considerando a dinâmica de sala de atividades poderíamos pensar em cantos ou estações como espelho com algumas roupas / chapéus / bonés etc, canto do faz de conta, painel ou tapete sensorial construído com diversos materiais, cubos grandes e pequenos, bacias e potes de diferentes tamanhos, tecidos de diversas cores, tamanhos e texturas, entre tantos outros. Na área externa poderíamos pensar em elementos da natureza para compor circuitos, jogos simbólicos, ou organizar estações com bolas, cordas, pneus, bambolês, garrafas pet com diferentes elementos, dentre outros mais. Sendo assim, os estudos e observações das interações com as crianças darão pistas de novos desafios e ambientes a se construir. "Ouvir" as crianças, observar sobre o que estão curiosas, serão indicadores para as novas propostas e projetos pedagógicos!
curtir
0

Quantas propostas você elencou, bacana! Como você mesma relata, as crianças sempre irão nos dar pistas sobre o que podemos acrescentar nos espaços. Já visualiza os cantos e quais materiais podem ser disponibilizados neles, de acordo com a proposta para cada um.
curtir
0

trazendo para minha realidade, imagino materiais recicláveis, mobiles feito com CDs, fogão com caixa de papelão, mesa com caixa, vai-e-vem com garrafa pet, é bem legal para o movimento, são muitas possibilidades, mas tenho dificuldade de por em prática. Um cantinho pode ser feito todo em materiais recicláveis?
curtir
0

Quanto mais variedade, maior as possibilidades de criar. Grande parte pode ser construído, como por exemplo confeccionar móveis como geladeira, fogão, berço de boneca e mesa, com caixas bem reforçadas, encapadas e incrementadas. No caso do canto da casinha, é importante completar com outros objetos que podem ser de uso real, adquiridos através de campanhas com as famílias como utensílios de cozinha, objetos de uso do adulto (celular, roupas, sapatos, acessórios, etc.) ou industrializados solicitados aos gestores da instituição, para que a criança possa compor a brincadeira, ou seja, imitar uma situação cotidiana, criando cenas. Os brinquedos para parque há muitas variedades que podem ser construídos, inclusive utilizar os elementos da natureza.Já o canto da biblioteca é importante que os livros e outros portadores de textos sejam reais, pois o contato com eles irão despertar o gosto das crianças pelas histórias e pela leitura desde bem pequenas.
curtir
0

Podemos criar vários 'cantos' que deverão ser disponibilizados conforme os espaços disponíveis. Um canto representando a cozinha - com miniaturas dos moveis, que poderão ser confeccionados em papelão, e com panelinhas, pratos e todo tipo de utensílios utilizados nesse ambiente. Outro ambiente poderá ser representado através de uma sala de estar, com bonecas e carinhos e também com fantasias diversas. Cantos para atividade de pintura e desenho, contendo mesinhas com cadeiras e materiais para pintura (tintas, lápis de cor, e de colagem é super interessante proporcionando o gosto por estas atividades no dia a dia.
curtir
0

Estou adorando esse estudo e lendo um material sobre orientações para organizar a sala de aula na Educação Infantil, gostei muito desse treche e que cabe perfeitamente para essa atividade: Materiais que não devem faltar: É necessário oferecer brinquedos que permitam ações de repetição simples, com peças de encaixe ou de empilhar. Procurar variar a oferta de materiais como caixas, rolos, cubos de plástico ou de pano, tampas grandes de plástico, bacias de diferentes tamanhos, argolas, bolas, carrinhos de puxar e empurrar que ampliam os movimentos. Quando o bebê começar a ficar de pé e se põe a andar, é necessário incentivá-lo a explorar o espaço para ampliar suas habilidades motoras. Para isso, pode-se colocar uma barra afixada na parede para que ele possa segurar. É importante que se coloque um tatame ou um colchonete para ampará-lo nas possíveis quedas. Outros materiais como telefones, livros de história, microfones, fantoches, bonecas, acessórios de faz de conta como lenços, chapéus, fantasias, carrinhos, fotografias e imagens também favorecem e estimulam a comunicação exploração. O teto também pode ser explorado com móbiles, panos coloridos, fitas etc. Cabe observar que, quanto menor a criança, menor será a diversidade de materiais dispostos para que a sala não fique confusa. Porém, isso não é motivo para que a sala seja esvaziada. O ideal é disponibilizar materiais variados em quantidade adequada ao número de crianças, priorizando a segurança da criança e a qualidade desses materiais. Acrescente, de acordo com o projeto desenvolvido e o interesse dos bebês, novos materiais e brinquedos no arranjo da sala. Os exemplos de rotina presentes nas OCEI (p. 49) podem nos inspirar na organização do espaço/tempo do berçário. Abraços!
curtir
0