Ainda não há contribuições em grupos.

Você ainda não tem amigos adicionados

Eventos

Próximos Eventos

17/03/18
SOBRE O CURSO Discutir os principais aspectos do...
Adriana Jacobucci Ribeiro
publicou no grupo Gestão Financeira: uso dos recursos na escola

Atividade 2

Esperamos que vocês tenham lido e gostado dos materiais da atividade anterior!

Para garantir o entendimento de todos, retomamos os uso do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE): Os recursos do PDDE creditados na conta da Associação de Pais e Mestres (APM) contribuem para garantir o bom funcionamento das Unidades Escolares no que diz respeito a seis itens:

Aquisição de Material Permanente

Aquisição de Material de Consumo

Manutenção, conservação e pequenos reparos da Unidade Educacional

Desenvolvimento de atividades educativas

Implantação de projetos pedagógicos

Contratação de serviços.

 

Os recursos enviados para cada escola são calculados de acordo com o número de alunos registrados no Censo Escolar do ano anterior. Por exemplo: uma unidade que atende 1455 estudantes do Ensino Fundamental recebe R$ 24.080,00 (custeio) e R$ 6.020,00 (capital), totalizando R$ 30.100,00. O valor por aluno é de R$ 20,68.

Para decidir de que forma o dinheiro será gasto, as equipes da APM e do Conselho Escolar reúnem-se para planejar, gerir e decidir as ações prioritárias, e registram o que fica acordado em uma ata.

Duas escolas, que abaixo chamamos de A e B, têm número de alunos muito semelhante, mas vive contextos e gestões diferentes.

Veja só:

Escola A - A equipe gestora construiu um bom relacionamento com alunos e comunidade, e juntos desenvolveram seu Projeto Político Pedagógico (PPP). Quando o recurso foi creditado na conta da escola, a Diretora convocou a APM e o Conselho de Escola para priorizar os gastos. Já se sabiam quais projetos dependiam de recursos da APM: diversas pesquisas de campo (museu, observatório astronômico e jardim zoológico), compras (instrumentos musicais, equipamentos para sala de informática e brinquedoteca e materiais pedagógicos) e reparos na estrutura física do prédio.

Escola B - Não tem atividades voltadas para comunidade. Seu diálogo com os alunos é distante, e o PPP foi construído internamente, apenas por professores e gestores. O diretor centraliza as atividades ao redor de suas normas, sem preocupação com uma gestão democrática. Os recursos seguem para aplicações no banco e algumas vezes são devolvidos ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), deixando a escola sem materiais básicos.

 

E com você? Como é a realidade de sua escola e as necessidades que a instituição apresenta? Fale, por exemplo, sobre aquisição de custeio, capital, serviços e reparos e desenvolvimento de atividades educativas.

De que forma os recursos são geridos, quais as dificuldades e soluções encontradas?

0

Comentar

Login ou registre-se para postar comentários

Comentários

Na nossa escola é muito similar a Escola A, tudo é discutido e resolvido em conjunto, claro que as vezes tem divergência, mas chegamos num consenso, e priorizamos o que é mais importante no momento e para o futuro da escola e das crianças, com isso nossa escola resolveu vários problemas de estrutura física do prédio, melhorou a biblioteca e o material pedagógico, mas os recursos ainda são pequenos.
curtir
0

Boa Tarde! Professora Tânia Como é importante esse diálogo, entendimento e respeito para as decisões, sem perder o foco da função da escola em garantir um ambiente adequado e com qualidade na aprendizagem. Realmente os recursos são poucos, por isso a importância de um bom gerenciamento. Afinal, quando observamos as mudanças e o bem estar dos nossos alunos, temos mais motivos para fazer o melhor.
curtir
0