Ainda não há contribuições em grupos.

Você ainda não tem amigos adicionados

Nenhum evento aberto no momento

Gustavo Killner
publicou no grupo Base Nacional Comum Curricular

ATIVIDADE 1
 
Olá pessoal!
Meu nove é Gustavo. Sou físico e pedagogo e trabalho no IFSP, no ISE Vera Cruz e no Colégio Santa Cruz. Sendo assim, leciono tanto na educação básica (fundamental e médio) e no ensino superior, onde trabalho com formação de professores.
Também por isso penso que a discussão da Base Nacional Comum Curricular é fundamental tanto para educandos e educadores como para a população em geral. Afinal, de certa forma, todos somos educandos/educadores. O Art. 210 da Constituição Federal e o artigo 26 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional já prescreviam a necessidade de criação de uma Base Nacional Comum Curricular, mas só agora, quase 30 anos depois ela será implementada.
O que pensamos sobre isso? Qual a importância dessa base? Ela é necessária? Podemos participar de sua elaboração ou ela será mais uma dessas leis que nos são impostas de cima para baixo e teremos que simplesmente acatar?
Essas e outras dúvidas podem ser desencadeadoras de muitas discussões. Além delas, quais outras questões relativas à Base Nacional Comum vocês gostariam de discutir aqui nesse espaço?
 
Façam suas apresentações e deixem seus comentários aqui no post.

0

Comentar

Login ou registre-se para postar comentários

Comentários

Olá, Gustavo! Sou Maiana Miranda, pedagogoga, moro em Porto Seguro-Ba, atuo como coordenadora pedagógica no Colégio Mater. Me "assuta" o fato de aqui no interior poucos educadores discutirem a BCN, sobretudo neste cenário de "reconstrução". Por esse motivo criei um grupo em 17/11 relacionado ao tema e até o momento não teve visitações. Me preocupa o fato de ver tanta "passividade" no discurso do professor, sempre querendo receber informações e/ou sugestões, sequências didáticas... no email, várias solicitações que faço questão de responder, porque realmente acredito que estamos em rede para ajudarmos uns aos outros. Mas no que diz respeito à discussões, acho que ainda precisamos ser mais ativos. Parabenizo-o, desde já, por criarem este grupo. Att. Maiana Miranda
curtir
4

Olá Maiana De fato, boa parte dos professores está tão mergulhado em seus afazeres diários e o trabalho de alienação feito pelo estado e pela mídia são tão eficientes que boa parte do corpo docente fica à deriva nos processos em que pode se manifestar. Há, nesse sentido, uma pseudo democracia, uma vez que as condições objetivas de participação nem sempre são dadas junto com a possibilidade de participar. Mas, por favor, não desista. É fundamental fezermos a contra hegemonia e a resistência a esse processo. Seja bem vinda ao grupo!
curtir
2

Verdade, Maiana. De fato, infelizmente, nem sempre há uma adesão de participação pela maioria. Reclamam se algo é de cima para baixo, mas quando é dada a oportunidade de opinar, não valorizam o suficientel.
curtir
0

Olá, meu nome é Aurélia. Estou atuando na coordenação pedagógica na Educação Infantil em Axixá, Maranhão. Ao ler a Base, fiquei muito preocupada porque algumas coisas na Educação Infantil ficaram confusas. Os campos de experiências, por exemplo pergunto como se dará essa orientação aos professores no planejamento? Esse protagonismo da criança ficou um tanto aberto também. Gostaria de esclarecimentos sobre a Educação Infantil
curtir
2

Olá Aurelia Seja bem vinda! Pelo que tenho lido por aqui, parece que a educação no Maranhão está sendo reorganizada e valorizada, e isso é bom! No que se refere a seus questionamentos, continue conosco que serão discutidos ao longo do debate!
curtir
3

Ola, Gustavo! Sou Édina Córdova, diretora de uma unidade de Educação Infantil em Ribeirão das Neves MG e gostaria muito de participar do grupo e poder contribuir neste processo participando das discussões.
curtir
0

Olá, Gustavo! Sou Eliane Rodrigues, professora de matemática no Rio de Janeiro. Tenho interesse em participar do grupo, pois na prática pedagógica verificamos a importância da base comum, todos os alunos do país tendo acesso ao mesmo conteúdo. Dando oportunidades a todos, principalmente no acesso a Universidade. Um abraço, Eliane.
curtir
1

Ola, Gustavo! Sou Gilvania. Estou atuando como pedagoga no Ensino Fundamental I e como apoio pedagógico numa creche em Manaus e gostaria de participar do grupo. Como vivemos uma época de avaliações de larga escala uma base comum que permita a todos os alunos do país ter acesso ao mesmo conteúdo é muito importante.
curtir
0

Olá Gilvania! De fato, já existem as matrizes de referência para algumas áreas (aquelas que são avaliadas em larga escala, como português e matemática) mas ampliá-las para todos os níveis e campos de conhecimento pode ajudar a democratizar o acesso à educação em todos os níveis.
curtir
0

imagem de demos.rosa_63971
Olá.Sou Demóstenes Pereira e atuo como coordenador pedagógico em uma escola no interior do Ceará. Já está marcado para próxima semana reuniões com os professores para discutir a BCR e tudo começará pelo cadastro no site do MEC. Considero muito importante esta discussão uma vez que trata daquilo que trabalhamos em sala e fora desta, quando se trata de conteúdo.
curtir
0

Olá Demóstenes! Que bom que vão discutir a Base Nacional por ai! É uma possibilidade de viabilizar a participação de todos na (re)elaboração da Base!
curtir
0

Olá Demóstenes, boa sorte na discussão com seus professores. Já tivemos esse momento em nossa Escola e apesar do pouco tempo, foi um tanto quanto positivo. Todos os professores se cadastraram no site do MEC, além disso, cadastrei a Escola, e no momento coletivo, os professores reunidos por área, apresentaram suas considerações. Tenho socializado com eles, via e-mail tudo que diz respeito ao assunto.
curtir
1

Sou Flavia Cardoso, graduada em pedagogia com pós graduação em coordenação e gestão escolar. Moro em Maceió e sou Diretora pedagógica da Escola Pierre Vigne
curtir
0

Meu nome é Evanilda. Trabalho na Educação há 30 anos, já ocupei todas as funções existentes numa escola, formada em Letras, atualmente estou como professora de apóio a alunos da Educação inclusiva numa escola do Interior de Goiás.(fundamental nível II) Acredito que a discussão da Base Nacional Comum Curricular é fundamental para a melhoria da educação,educandos e educadores.Pena que muitos colegas não acreditam que de nada adiantará as contribuições dos professores . Como estou atuando na educação inclusiva gostaria de saber como posso contribuir para melhorar também esse setor.
curtir
0

COM CERTEZA, TEMOS MUITO A CONTRIBUIR COM A EDUCAÇÃO DO NOSSO QUERIDO PAÍS. SOMOS DE UM MUNICIPIO PEQUENO, MAS QUE TEM MUITAS IDEIAS QUE SERÃO FAVORÁVEIS.
curtir
1

Olá Gustavo! Sou Lêda A. Borges, pedagoga e trabalho com dois públicos: Coordeno a EJA na Rede Municipal de Jacundá Pará e também o Ensino médio em uma escola Estadual. Dois Segmentos que estão necessitando urgentemente de ajuda, de apoio geral e muita discussão. Também fico preocupada, pois já divulgamos a BCN nas duas redes ( municipal e estadual) mas, não está sendo algo discutido pelos educadores e isso me incomoda pois nos momentos de planejamento vários questionamentos surgem a respeito da não visualização de componentes curriculares necessários para nossa região nos componentes/livros didáticos. assim, espero aqui podermos nos ajudarmos nessa nova organização coletiva. Parabéns pela inciativa. Abraços. Lêda A. Borges.
curtir
0

Eu sou Ivone, sou pedagoga, especializada em coordenação pedagógica pela Unir/Escola de Gestores, trabalho na Secretaria de Educação do Município de Cujubim. Eu tenho varias dúvidas se realmente estamos participando desta discussão. Se não é apenas para que o País atenda a uma exigência imposta e em função disso abriu a proposta de que todos participem. Até onde realmente a nossa participação será considerada e de que forma isto ocorrerá.
curtir
0

Eu sou Ivone, sou pedagoga, especializada em coordenação pedagógica pela Unir/Escola de Gestores, trabalho na Secretaria de Educação do Município de Cujubim. Eu tenho varias dúvidas se realmente estamos participando desta discussão. Se não é apenas para que o País atenda a uma exigência imposta e em função disso abriu a proposta de que todos participem. Até onde realmente a nossa participação será considerada e de que forma isto ocorrerá.
curtir
0

Eu sou Ivone, sou pedagoga, especializada em coordenação pedagógica pela Unir/Escola de Gestores, trabalho na Secretaria de Educação do Município de Cujubim. Eu tenho varias dúvidas se realmente estamos participando desta discussão. Se não é apenas para que o País atenda a uma exigência imposta e em função disso abriu a proposta de que todos participem. Até onde realmente a nossa participação será considerada e de que forma isto ocorrerá.
curtir
1

Olá Ivone, bem vinda! Sua questão é bem pertinente. è claro que, individualmente, sempre teremos menos força e fica mesmo difícil saber até que ponto nossas sugestões terão escuta e retorno. Contudo, não podemos nos omitir! Então, é sempre bom participar e, de preferência, de forma organizada, envolvendo mais pessoas na discussão.
curtir
1

Eu sou Ivone, sou pedagoga, especializada em coordenação pedagógica pela Unir/Escola de Gestores, trabalho na Secretaria de Educação do Município de Cujubim. Eu tenho varias dúvidas se realmente estamos participando desta discussão. Se não é apenas para que o País atenda a uma exigência imposta e em função disso abriu a proposta de que todos participem. Até onde realmente a nossa participação será considerada e de que forma isto ocorrerá.
curtir
1

Olá Gustavo! Sou Valéria Ruas,Pedagogoga, moro em Belo Campo, cidade do interior da Bahia. Estou atuando como coordenadora Pedagógica do ensino fundamental I e na formação de coordenadores do Pacto. Gostaria muitde participar do grupo de estudos, para possíveis contribuições e esclarecimentos.
curtir
1

Olá! Meu nome é Joselma Rosa, sou educadora de apoio - coordenadora pedagógica - da Escola de Referência em Ensino Médio Padre Zacarias Tavares, em Caruaru - PE. Penso que uma Base Nacional Comum é importante pois serve para alicerçar a prática pedagógica de todas as escolas. O fato de nos ter sido dada a oportunidade de participar indica que não é algo de cima para baixo. Devemos portanto, aproveitar, fazer um estudo sério e comprometido do que está proposto e acrescentarmos nossa opinião. Um abração e boa discussão para nós!
curtir
1

Oi, boa noite! Sou Eliane, professora, educadora de coração. Sim de coração pois se não fosse assim já teria desistido. Trabalho com ensino fundamental e com Programa Profuncionário. Muito importante deve ser a participação de todos os profissionais da educação. Sim pois cada um em suas funções tem o que contribuir. Vamos juntos sempre buscando melhorias para a educação.
curtir
0

Olá Gustavo! Sou a Fernanda. Sou aluna de Pedagogia. Trabalho na Educação Especial não formal, em um programa de contraturno para adultos com deficiência. Também sou supervisora pedagógica de uma empresa com uma metodologia baseada em jogos de raciocínio nas salas de aula. Sou Fisioterapeuta, graduada há 14 anos e desde 2010 estou fascinada com o mundo da Educação, por isso decidi por uma nova formação. Muito feliz em estar nesse grupo e poder compartilhar saberes sobre a BNC. Abraços!
curtir
0

Olá Professor Gustavo, sou Maria do Socorro Menezes Guirro, Técnica Pedagógica da CRE/Ouro Preto do Oeste-RO, amanhã dia 02/12, todos os professores das escolas de nossa CRE e jurisdição se reunirão para discutir sobre a BNCC, para posterior contribuição.
curtir
0

Olá, sou Aparecida, pedagoga, mora em Cabrobó- Pe, realizo um trabalho de articuladora Pedagógica na Escola Indígena Capitão Dena no Povo Indígena Truká. Descutir a BCN é também ver se realmente é comum aquem ? Se temos um estado multiétnico????
curtir
0

Olá, sou Silvana Sassi, moro em Sarandi-RS, sou professora, psicopedagoga e palestrante. Aqui no Norte do RS, os municípios estão mobilizados nas discussões e a preocupação com a BNC já era grande no final do ano passado. Com as férias, as discussões pararam, mas penso que retornam intensas no início do ano letivo. Estive analisando os conteúdos para o 1º ano na área das Linguagens. Acredito estarem perfeitamente relacionadas às necessidades das crianças de 6 anos no que se refere ás diversas formas de leitura, partindo do dia a dia da criança, do seu espaço familiar, da sua realidade, expandindo a visão, gradativamente para espaços maiores e realidades diferentes, pois é muito importante que a criança entenda que há outras formas de vivência e convivência, diferentes da sua, mas de igual valor.
curtir
0

BOA NOITE! SOU PROFESSORA MARISTELA DE OLIVEIRA, ESTOU CURSANDO LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA (CONCLUINDO TCC) PELA UFPA (PARFOR/2011), MORO EM MEDICILÂNDIA, ESTADO DO PARÁ, DE ACORDO COM SUA NOVO SLOGAN " A CAPITAL DO CACAU". NESSE MÊS ESTA SE COGITANDO ALGUMAS DATAS PARA DEBATER SOBRE Base Nacional Comum Curricular, SEI QUE ISSO, JÁ OCORRE PARCIALMENTE EM NOSSAS ESCOLAS, FALTA APENAS ESTA MAIS PAUTADOS NAS DOCUMENTAÇÕES PARA QUE SEJA MAIS RESPALDADA, POIS COMO JÁ TEM MUITO TEMPO ESTA DISCUSSÃO, SERÁ DE SUMA IMPORTÂNCIA QUE NÓS, PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO, QUE ESTAMOS EM SALA DE AULA, PASSANDO PELAS MAIS DIVERSAS SITUAÇÕES, QUE PRA VARIAS SÃO INÚMERAS, DEVEMOS OPINAR DIRETAMENTE NAS ESCOLHAS E TOMAR CONSCIENTEMENTE AS DECISÕES NECESSÁRIAS E QUE ESTEJA DE ACORDO, PREFERENCIALMENTE COM A REALIDADE DE CADA UM. POR QUE NÃO ADIANTA RECEBER UM MATERIAL PRONTO E ACABADO PARA SOMENTE POR EM PRÁTICA, É NECESSÁRIO FAZERMOS PARTE DESSE DEBATE, OPINANDO E MOSTRANDO O QUE REALMENTE OCORRE EM NOSSAS ESCOLAS. MAS, NÃO SERÁ FÁCIL, POIS JÁ TEMOS CIÊNCIA DE QUE TUDO QUE É DISCUTIDO AQUI EM BAIXO, SÃO MODIFICADOS QUANDO CHEGA NA RETA FINAL, SEM CONTAR QUE ALGUNS GESTORES MUNICIPAIS, NÃO VALORIZAM OS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO COMO DEVERIA E ACABAM SEMPRE ANDO UM "JEITINHO BRASILEIRO" DE MUDAR O FOCO REAL DO QUE ESTÁ EM DISCUSSÃO. QUERO PARABENIZA-LO PELA INICIATIVA E ESPERO QUE TODOS POSSAM FAZER PARTE DESSE DEBATE, PRA DEPOIS NÃO FICAR ACEITANDO TUDO CALADO.
curtir
0

Do bom dia ao boa noite! Sou professor do ensino fundamental a 15 anos e atuo como coordenador pedagógico da modalidade EJAI a 06 anos, e atualmente estou com 6º ao 9º ano, contribuindo na formação dos professores e fazendo acompanhamento pedagógico.É de suma importância um base comum desde que seja reatualizada pelo menos de dois em dois anos numa realidade pelo menos de cada estados. um forte abraço!
curtir
0